Goiânia e Aparecida

PC cumpre mandados contra grupo suspeito de agiotagem com juros de quase 40%

Busca e apreensão: operação apreendeu celulares, dinheiro e documentação indicativa dos crimes. Ninguém foi preso


Jessica Santos
Do Mais Goiás | Em: 21/01/2020 às 12:07:46

A PC cumpriu 8 mandados de busca e apreensão contra grupo suspeito de agiotagem com juros de quase 40%, extorsão e lavagem de dinheiro. (Foto: divulgação/PC)
A PC cumpriu 8 mandados de busca e apreensão contra grupo suspeito de agiotagem com juros de quase 40%, extorsão e lavagem de dinheiro. (Foto: divulgação/PC)

A Polícia Civil (PC) deflagrou, na madrugada desta terça-feira (21), uma operação contra grupo suspeito de agiotagem com juros de quase 40%, extorsão e lavagem de dinheiro com atuação em Goiânia e Aparecida. Denominada Escobar, a operação cumpriu oito mandados de busca e apreensão na casa de investigados. Celulares, dinheiro e documentação indicativa dos eventuais crimes foram apreendidos. Ninguém foi preso.

O responsável pelas apurações, delegado Carlos Caetano, explica que a organização é investigada há seis meses e conta com cerca de mil integrantes. Grupo atuava há três anos e oferecia dinheiro emprestado a pequenos comerciantes. O pagamento, no entanto, deveria ser feito no dia seguinte, sob aplicação de juros. “No final do mês, o valor já estava exorbitante visto que os juros eram altíssimos, de quase 40%”.

A operação deflagrada nesta terça-feira (21) está ligada apenas ao cumprimento de mandados de busca e apreensão. De acordo com ele, seis mandados foram cumpridos em Goiânia e dois em Aparecida, na região Metropolitana da capital.

O investigador cita que foram apreendidos 18 aparelhos celulares, R$ 15 mil em espécie, óculos e relógios avaliados em R$ 3 mil, bem como farta documentação que indica a prática de atos ilícitos. “Agora vamos processar toda a documentação, analisar telefone por telefone, juntar provas e mandar para o Judiciário para continuar as apurações”, ressaltou.

Ainda conforme Carlos Caetano, outras operações da PC já prenderam, em outras ocasiões, suspeitos de integrar o grupo criminoso. “Tivemos, anteriormente, cinco casos pontuais de extorsão que identificamos estar ligados à organização. Além de extorsão, o grupo também faz operação de loteria ilegal e agiotagem”, afirmou. Suspeita, de acordo com o delegado, é de que a organização seja comandada de fora do país. As investigações continuam para identificar mandantes e demais integrantes do grupo.

(Foto: Divulgação/PC)