FolhaPress

Parte de prédio residencial de 12 andares desaba e deixa um morto em Miami

Ainda não se sabe quantas pessoas moravam no edifício nem quantas estavam em casa na hora do desabamento, mas um socorrista falou em "múltiplas vítimas"

Sobe para cinco o número de mortos após desabamento de prédio em Miami
Demolição controlada foi realizada neste domingo, onze dias após a tragédia (Foto: reprodução/ ABC)

Parte de um prédio desabou na madrugada desta quinta-feira (24) em Miami, no estado da Flórida, nos Estados Unidos. Ainda não há informações sobre as causas do incidente reportado próximo à praia de Surfside. Segundo o canal NBC, da Flórida, há uma pessoa morta e dezenas de feridos. A informação ainda não foi confirmada pelos bombeiros.

O desabamento parcial foi confirmado pelo Departamento de Resgate de Bombeiros de Miami-Dade, que enviou mais de 80 unidades de incêndio e resgate para o local. Uma imagem postada na conta do Twitter da Polícia de Miami Beach mostra destroços ao lado do que restou da construção.

Ainda não se sabe quantas pessoas moravam no edifício nem quantas estavam em casa na hora do desabamento, mas um socorrista falou em “múltiplas vítimas”.

Em declaração para a agência AP, a sargento Marian Cruz, do Departamento de Polícia de Surfside, disse que o prédio tem 12 andares. “Toda a parte de trás do prédio desabou”, disse.

De acordo com a polícia de Surfside, o prédio fica localizado na 8777 Collins Avenue. De acordo com o jornal Miami Herald, o prédio havia sido construído em 1981 e fazia parte de um condomínio de três torres que totalizavam mais de 100 apartamentos.

A região atrai tanto residentes como turistas, com estabelecimentos comerciais, hotéis, restaurantes e condomínios.

Nas redes sociais, canais de TV e usuários compartilharam vídeos mostrando o prédio destruído e imagens da operação dos bombeiros. Um dos vídeos mostra o resgate de um menino dos escombros.

Uma moradora contou ao canal NBC que abriu a janela e só viu poeira. “Depois eu abri a porta e vi que o prédio havia desabado”. Questionada se entrou em contato com outros moradores, relatou que há alguns vivos, mas do lado que desabou não há ninguém.