Video games

Parlamentares russos acusam FIFA de “propaganda gay”

Alguns congressistas estão bravos com a participação do jogo em uma campanha contra a homofobia




A Rússia é um dos países mais homofóbicos do mundo então não é de se surpreender que alguns parlamentares do país ficaram irritados com o apoio da EA Games e do jogo FIFA 17 a uma campanha contra a homofobia.

 

Segundo o The Guardian, os deputados acusam o jogo de “propaganda gay” e entraram com um caso no Serviço Federal de Supervisão na Esfera das Telecomunicações, Tecnologia da Informação e Comunicação de Massa (Roskomnadzor).

 

Todo o problema gira em torno de uma camiseta com o arco-íris LGBT distribuída de graça dentro do jogo em apoio à campanha Rainbow Laces (Laços Arco-Íris), uma campanha contra a homofobia promovida no Reino Unido durante o mês de novembro.

 

Segundo o jornal, o parlamentar do Partido Comunista Russo, Valery Rashkin, disse aos jornais russos que a EA deve mudar a programação do jogo ou senão elevar a sua classificação etária, que é livre ou senão o governo russo irá tomar providências para que restrições sejam impostas.