Francisco Costa
Do Mais Goiás

Para Waldir, chapa ideal terá Daniel Vilela com vice do PP e ele ao Senado

Segundo deputado federal, MDB e DEM não se aproximarão para o pleito do ano que vem

PSL não pode reclamar de Lira, diz delegado Waldir, que apoiou Baleia Rossi
Delegado Waldir (Foto: reprodução/Internet)

A expectativa de delegado Waldir (PSL) é disputar o Senado em 2022, na chapa liderada por Daniel Vilela (MDB) na disputa ao governo do Estado. Segundo ele, não existe possibilidade de DEM e MDB se juntarem. Além disso, ele afirma que o ideal seria um vice do PP, indicado por Alexandre Baldy, presidente estadual da sigla.

Vale lembrar, Baldy teve o irmão, Adriano Baldy, exonerado da Secretaria de Cultura de Goiás (Secult), após entrevista cobrando o governador Ronaldo Caiado (DEM) por apoio a Arthur Lira (PP-AL), então postulante à presidência da Câmara. Em seguida, outro irmão dele, Joel Sant’Anna perdeu cargo na diretoria na Assembleia Legislativa – à época, o presidente da Casa, Lissauer Vieira (PSB), disse ter sido só coincidência, nada de retaliação.

Assim, a expectativa de Waldir é por uma frente ampla de oposição. Além de MDB, PP e PSL, do qual o deputado é presidente, o parlamentar diz já ter conversado com PSDB, PTC e PL.

“O MDB precisa distribuir vagas majoritárias de vice, de senador. Senador pode ser eu, ou alguém de outro partido, como do deputado federal João Campos”, indica uma possível parceria com o Republicanos, partido do prefeito de Goiânia, Rogério Cruz. Ele, contudo, afirma que as duas expressivas votação nos últimos dois pleitos – sendo o deputado federal mais votado de Goiás – o credenciam para a disputa.

Por fim, Waldir reforça que, desde o ano passado, o PSL se alinha com o MDB em Goiás, em dezenas de cidades. “Fizemos uma aliança forte. Ajudamos a eleger prefeitos, o próprio PSL saiu de zero para cinco prefeituras”, lembrou satisfeito.