FolhaPress

Para frear Covid, interior de SP multa até encontro de quatro pessoas

Prefeituras usam drones para flagrar e coibir aglomerações. Cidades também adotam barreiras sanitárias

Barreira Sanitária em Araraquara (Foto: Prefeitura de Araraquara)
Barreira Sanitária em Araraquara (Foto: Prefeitura de Araraquara)

Enquanto cidades do interior de São Paulo seguem registrando mortes de pacientes com Covid-19 à espera de vaga e a pandemia se agrava, pequenos e médios municípios paulistas têm anunciado lockdown, criado barreiras sanitárias, utilizando drone para flagrar aglomerações e implantado multas a quem for flagrado em companhia até mesmo de apenas três pessoas.

Todas as medidas têm como objetivo evitar a proliferação do novo coronavírus, que a cada dia sobrecarrega mais o sistema hospitalar — e muitas das cidades do interior não têm sequer leitos de enfermaria.

Piracicaba, Charqueada e Araraquara adotaram barreiras sanitárias, por exemplo. Em Barretos, encontros de mais de três pessoas nas ruas poderá render multa de R$ 500 para cada um, enquanto outras cidades usarão drones para coibir aglomerações e estão criando hospitais de campanha.

Em São Joaquim da Barra, uma das cidades líderes em isolamento social no interior, começou a funcionar no último dia 20 o hospital de campanha, instalado no centro de convivência do idoso.

Com capacidade de 20 leitos, todos de enfermaria, o hospital foi visto como uma válvula de escape para aliviar a Santa Casa da cidade, que nesta quinta-feira (1º) tinha 32 pacientes internados, 13 dos quais em UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

“Graças a Deus que conseguimos montar esse hospital. Aqui o bicho pegou, foi por Deus. Se não tivéssemos conseguido montar ficaria muito difícil, pois o negócio estava feio”, afirmou José Eduardo de Castro, diretor de Saúde de São Joaquim da Barra.

Serão abertos mais cinco leitos no hospital e a intenção é comprar respiradores —mas não haverá vagas de UTI. “A UTI está cheia. Hoje teve uma vaga por alta, e não por óbito, o que comemoramos, é uma boa notícia. Enquanto não tivermos certeza de que não haverá mais perigo, o hospital de campanha seguirá em funcionamento.”

Com seus 10 leitos de UTI ocupados e 300% de ocupação em enfermarias —15 pacientes—, Taquarituba também adotou medidas restritivas, com ampliação da fiscalização, inclusive com o uso de drones para monitorar ranchos e chácaras com reuniões de grupos.

Proprietários dos imóveis e as pessoas que os alugarem gerando aglomerações serão multados em R$ 3.940 para cada uma das partes envolvidas.

A cidade de 23 mil moradores na região de Itapeva acumula até aqui 25 óbitos e 1.683 casos confirmados da Covid-19.

A Prefeitura de Charqueada implantou na última sexta barreiras sanitárias para controlar a entrada de veículos e pedestres na cidade, em fiscalização conjunta da Guarda Civil Municipal e da Vigilância Sanitária.

As equipes aferem a temperatura dos motoristas e ocupantes dos veículos e faz orientações sobre como se portar na pandemia. A ação seguirá até domingo e tem como objetivo evitar que os casos e mortes se agravem na cidade. Até aqui, foram 18 óbitos, para 939 casos confirmados, para uma população de 17 mil habitantes.

Em Araraquara, 24 veículos foram impedidos de entrar na cidade na quarta-feira (31), primeiro dia de funcionamento das barreiras sanitárias instaladas para ajudar a minimizar a disseminação do novo coronavírus.

Os motoristas tiveram de voltar para suas cidades de origem por não conseguirem justificar o motivo de quererem entrar em Araraquara.

No total, foram parados 1.124 veículos pelas equipes de fiscalização, a maioria moradores da própria cidade. Entre os motivos aceitos pelas equipes para liberar a entrada dos veículos de outros locais estão trabalho, doença e assistência a algum familiar doente ou idoso.

Mas é preciso que os ocupantes do veículo apresentem um teste negativo da Covid-19 feito em no máximo 48 horas antes de chegar à fiscalização.

Se não tiverem o teste, mas alegarem que a entrada é essencial, poderão fazer na hora. De 108 testes aplicados, 1 deu positivo.

A cidade antecipou dois feriados para esta semana (Corpus Christi e Dia da Consciência Negra e dos Orixás) para criar uma ponte de cinco dias até o domingo de Páscoa (4).

“Queremos impedir que pessoas de outros municípios venham contaminadas ou com o intuito de turismo, lazer. Estamos vivenciando uma pandemia grave e o momento é de ficar em casa”, disse o secretário da Segurança Pública de Araraquara, João Alberto Nogueira Junior.

Quem também adotou barreiras sanitárias é Piracicaba, que antecipou feriados e anunciou severas restrições na circulação de pessoas desde o último dia 27 e que prosseguirão até domingo.

As barreiras têm sido montadas diariamente nos principais pontos da cidade. No fim de semana, por exemplo, estavam na avenida Beira Rio e no terminal rodoviário intermunicipal, entre outros pontos.

Estão proibidas as reuniões de mais de 10 pessoas, limite para o que é considerado aglomeração pela administração. O objetivo é evitar locações de chácaras, usadas muitas vezes para festas clandestinas.

No dia 26, quando as medidas foram anunciadas, a taxa de ocupação de leitos de UTI exclusivos para pacientes diagnosticados com Covid-19 estava em 102%. Nesta quinta, estava em 93% —a redução não tem elo com as medidas restritivas, já que a ocupação em UTIs é vista por especialistas como o último setor a sentir impacto positivo das restrições.

Em Barretos, as restrições são ainda maiores, com multas de R$ 500 por pessoa flagrada em grupos com mais de três pessoas na Região dos Lagos ou em avenidas como a Via das Comitivas —que leva ao Parque do Peão, onde ocorre a Festa do Peão de Boiadeiro—, das Nações e Via dos Coqueiros.

Apenas no último final de semana fiscalizações da Vigilância Sanitária da cidade, com Procon e Polícia Militar, flagraram 67 festas, que foram encerradas.

Laranjal Paulista entrou em lockdown. Na última semana, em apenas um dia, a cidade chegou a confirmar 108 casos da Covid-19. O acumulado desde o início da pandemia indica 2.804 casos confirmados, com 31 óbitos, na cidade de 28 mil habitantes.

Na última semana, a UTI da Santa Casa chegou à capacidade máxima, com 10 pacientes internados com Covid-19, além de outros 9 em enfermaria.

“A medida tem por objetivo reduzir a transmissão das novas cepas do coronavírus que são mais transmissíveis e fatais, conter a sobrecarga hospitalar e preservar a vida e a saúde da população”, diz trecho de comunicado da administração.

Espaços públicos foram interditados e a prefeitura pediu que os moradores não usem praças, espaços de lazer e parques no período.