Do Mais Goiás

Pandemia não está controlada, apesar de estabilidade na média móvel de óbitos, diz SES

De acordo com a pasta, pedidos por leitos de UTI também deixaram de aumentar

Fonte: Consorcio dos veículos de imprensa.

Uma semana depois de atingir o 2° lugar no ranking dos estados com maiores médias móveis de óbitos por Coronavírus, Goiás apresentou estabilidade no número de vítimas fatais da Covid-19, de acordo com o governo estadual. Segundo dados do Consórcio de veículos de imprensa deste domingo (29), o Estado apresenta 10% de aumento nas mortes em relação aos últimos sete dias. O percentual é considerado estável quando for de até 15%. No entanto, o titular da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Ismael Alexandrino, alerta que apesar de animador, o dado traz referência de poucos dias e não significa que a pandemia está controlada no território goiano.

“Eu acho ainda precoce falar em estabilização no número de mortes. É óbvio que a gente vê a última evidência de forma animadora, mas ainda é pouco tempo”, explica o titular da pasta.

Ismael  esclareceu que o dado era esperado pela gestão estadual. “Isso confirma o que esperávamos, entrar em abril estabilizado, em platô, com muito óbitos ainda, mas estabilizado” completou o secretário.

A Superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria Estadual (SES-GO), Fluvia Amorim, relata que houve também uma pequena redução no número de pedidos de Unidades de Terapia Intensiva em Goiás. “Os números por pedidos de leitos só aumentavam, agora pararam de aumentar”, revelou.

Flúvia justifica porque o impacto ainda é discreto. “O que vimos foi uma mudança mínima no índice de isolamento social. Por isso ainda é não podemos falar em queda. É o que a gente espera, mais ainda não é possível”, concluiu.