Pai de santo suspeito de estupro é preso em Goiânia

Homem é suspeito de estuprar três adolescentes durante tratamento espiritual em um terreiro no Setor Balneário Meia Ponte. Outras 11 mulheres também denunciaram o líder espiritual por abuso sexual


Jessica Santos
Do Mais Goiás | Em: 05/07/2019 às 14:42:27

O pai de santo Oli Santos da Costa, 61, foi preso acusado de abuso sexual (Foto: Divulgação | PC)
O pai de santo Oli Santos da Costa, 61, foi preso acusado de abuso sexual (Foto: Divulgação | PC)

Na tarde desta sexta-feira (5) foi cumprido o mandado de prisão do pai de santo Oli Santos da Costa, de 62 anos, suspeito de estuprar três adolescentes durante tratamento espiritual em um terreiro no Setor Balneário Meia Ponte, na região Noroeste da capital. O homem também é suspeito de abusar sexualmente de outras 11 mulheres.

Ao Mais Goiás, a delegada responsável pelo caso, Caroline Borges, informou que o pedido de prisão foi feito em devido à gravidade dos crimes relatados pelas vítimas de 15 e 17 anos. A terceira vítima, agora com 18 anos, foi abusada quando tinha 16. “Entendemos que a prisão é necessária devido a forma como ele agia, a periculosidade. Fizemos o pedido e ele foi deferido”, contou.

Caroline ainda explica que Oli foi intimado para prestar depoimento nesta sexta-feira (5), na  Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), em Goiânia. Coincidentemente, o pedido de prisão foi deferido no momento em que ele deixava a delegacia. “Assim que ele saiu recebemos a resposta do pedido. Fomos atrás dele e fizemos a prisão enquanto ele ainda estava no trânsito. Ele estava acompanhado da defesa e não ofereceu resistência”, relatou.

A delegada explica que o inquérito deve ser concluído na próxima semana. O homem vai responder importunação sexual e violação sexual mediante fraude.

Investigação na DEAM

Paralela à investigação da DPCA, o pai de santo também é investigado pela Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM). Nesta quinta-feira (4), o pedido de prisão feito pela delegada Cassia Sertão foi indeferido. Até o momento, as apurações apontam 11 vítimas de abuso sexual cometido por Oli durante atendimento espiritual, que em  alguns momentos individualizados, em uma sala fechada do terreiro.

Segundo a delegada, a corporação escuta as testemunhas e  reúne provas dos crimes. O caso segue sob investigação. “Estão todos chocados e desapontados. Tanto as vítimas quanto pessoas que frequentam o terreiro estão se sentindo traídos porque ele sempre foi muito carismático”, disse uma das testemunhas.