Santo Antônio do Descoberto

“Pai de santo dopava vítimas para estuprá-las”, afirma testemunha; ouça relato

Suspeito ameaçava matar mãe e pai das vítimas para que elas não denunciassem os crimes. Ao menos cinco meninas foram abusadas sexualmente e o apontam como suspeito

Cidades

Jessica Santos
Do Mais Goiás | Em: 16/01/2020 às 10:28:48

O pai de santo Francisco, suspeito de abuso sexual contra ao menos cinco menores, deverá ser ouvido pela PC na próxima semana. (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
O pai de santo Francisco, suspeito de abuso sexual contra ao menos cinco menores, deverá ser ouvido pela PC na próxima semana. (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Um áudio de uma testemunha ao qual a Polícia Civil (PC) teve acesso aponta detalhes de como o pai de santo Francisco de Assis Maximiliano, de 43 anos, suspeito de crimes sexuais contra menores, teria agido com supostas vítimas. Segundo a gravação, o homem dopava as vítimas para estuprá-las e também as ameaçava para que não relatassem os casos. Suspeito foi preso nesta quarta-feira (15), em Santo Antônio do Descoberto, no Entorno do Distrito Federal (DF). Cerca de 50 pessoas devem ser ouvidas até a próxima semana.

Francisco é suspeito de abusar de ao menos cinco menores de idade. Os crimes teriam tido início em 2012 durante atendimentos realizados no terreiro do pai de santo. As vítimas, segundo apuração da PC,  à época dos crimes, tinham entre 12 e 13 anos. Ao ser detido, o suspeito ficou em silêncio. A PC deve realizar novo interrogatório com o homem após ouvir as testemunhas.

No áudio, a testemunha, que também frequentava o terreiro com outros pais de santo, conta que passou a reparar a forma diferenciada como ele tratava algumas adolescentes. “Eram atos de carinho e afeto que ele não tinha com todo mundo”, disse. Segundo ela, Francisco aproveitava da situação para cometer os crimes.

“Ele ameaçava as meninas com arma. Dizia que se não tivesse relação sexual com ele, mataria a mãe e o pai das adolescentes. Ele também dopava as vítimas para cometer os abusos”, relatou.

Ainda de acordo com a testemunha, o pai de santo também afirmava que recebia uma entidade que induzia as crianças a beber e fumar. Em seguida, ele se aproveitava da situação e cometia os crimes. “Eu não presenciava o ato sexual, presenciava as meninas bebendo e fumando. Junto com meus irmãos de santo, decidi me afastar porque a gente não concordava com a situação e nem apoiava. Agora veio à tona esse escândalo religioso, mas ele foi preso e a Justiça foi feita. Espero que não aconteça esse tipo de coisa em outros barracões porque religião é uma coisa e safadeza é outra. Não tem nada a ver. Uma coisa não conduz a outra”, conta.

Abusos

Francisco de Assis Maximiliano é suspeito de abusar de ao menos cinco crianças, com idades entre 12 e 13 anos, desde 2012. A delegada responsável pelo caso, Silzane Bicalho, afirma que após o homem ser indiciado por estupro de vulnerável, outras três mulheres procuraram a delegacia e acusaram o pai de santo de crimes sexuais. A PC trabalha para identificar mais vítimas.

A investigadora destaca que as adolescentes tinham medo de fazer denúncia porque teriam sido ameaçadas de morte. Silzane afirma que o pai de santo tinha um terreiro onde realizava um banho de ervas.

No local, ele tirava a roupa das meninas e alegava que recebeu uma entidade. “Ele utilizava o argumento de que estava incorporado para cometer os abusos.” As garotas disseram, também, que ficavam sozinhas, ingeriam bebidas alcoólicas e depois eram abusadas.

Por se tratar de prisão preventiva, Francisco deve permanecer preso, inicialmente, por 30 dias. Ele está no Presídio de Santo Antônio do Descoberto. “Pode ser que tenham outras vítimas, mas ainda não sabemos quantas”, reforça a investigadora.