INVESTIGAÇÃO

Padre Robson pede afastamento de suas funções da Basílica de Trindade

Segundo advogado Pedro Paulo, religioso pediu o afastamento como forma de contribuir para a investigação


Francisco Costa
Do Mais Goiás | Em: 21/08/2020 às 19:44:39

(Foto: Reprodução/Pinterest)
(Foto: Reprodução/Pinterest)

O padre Robson de Oliveira pediu afastamento de suas funções no Santuário Basílica do Divino Pai Eterno e na Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe). A informação foi confirmada pela Arquidiocese de Goiânia e pela defesa do pároco.

O religioso e a Afipe são investigados pela Operação Vendilhões, deflagrada nesta segunda-feira (21), por suposta apropriação indébita, lavagem de dinheiro, falsificação de documentos e sonegação fiscal. Robson presidia a associação.

Segundo a nota, assinada por Dom Washington Cruz e pelo padre André Ricardo de Melo, “a Igreja Católica em Goiânia foi surpreendida com a ação do Poder Judiciário e do Ministério Público do Estado de Goiás, em face da Afipe e do padre Robson de Oliveira Pereira”. Ainda no texto, a arquidiocese e a Província dos Missionários Redentoristas de Goiás dizem estar abertas a apurar quaisquer denúncias em desfavor de seus membros.

“Para contribuir com a investigação, o Padre Robson de Oliveira Pereira pediu o afastamento de suas funções (…) até que se esclareçam todos os fatos.” Ele será substituído pelo padre André Ricardo de Melo, provincial dos Missionários Redentoristas de Goiás.

Pedro Paulo de Medeiros, advogado de Padre Robson, afirma que o religioso pediu o afastamento como forma de contribuir para a investigação. “Além disso, a própria Afipe fará auditorias internas para dar transparência aos fiéis que todo o dia dinheiro doado foi investido na própria associação.”

Segundo o advogado, é interesse do padre Robson que a investigação ocorra para demonstrar que não há qualquer irregularidade.

Nota da Arquidiocese de Goiânia