Cinema

Originalmente, Rogue One teria pelo menos um jedi

Roteirista revelou que aos poucos a ideia foi substituída para fazer um filme sem sabres de luz




Em entrevista ao Yahoo Movies, o roteirista Chris Weitz de Rogue One – Uma História Star Wars revelou que por muito tempo os rascunhos tinham a presença de pelo menos um jedi na história, mesmo que fosse apenas em um papel coadjuvante.

 

“A mãe da Jyn seria jedi”, contou, dando tons ainda mais dramáticos para o destino da personagem principal e para a ponta de Lyra Erso na trama. Por fim, conforme o filme tomou forma, a ideia foi abandonada: “Achamos que seria mais interessante ter um filme sem a Força, sem sabres de luz…Poderíamos explorar um momento de falta de fé, sem esperança. Há desespero pelo fato de que os jedi se foram e muitos nem acreditam na Força. Poderíamos fazer uma história sobre pessoas comuns tendo que se virar”, contou.

 

Porém, o filme inclui um personagem que é usuário da Força, ou “sensível” como se diz no cânone, sem ser jedi, que é o monge cego Chirrut Îmwet. Outra sensível apareceu em O Despertar da Força, na personagem de Maz Khanata.