"panelinha"

Oposição do governo na Alego critica indicação de cunhado de Marconi ao conselho do TCM

Assunto foi apresentado pelo líder da base Francisco Oliveira (PSDB). José Nelto (MDB) e Major Araújo (PRP) apontam favorecimento de familiar, falta de critérios e formação de “panelinha”


Hugo Oliveira
Do Mais Goiás | Em: 07/03/2018 às 13:03:13

José Nelto afirma que indicação é sinal de degradação da imagem de Marconi no Governo (Foto: reprodução/internet)
José Nelto afirma que indicação é sinal de degradação da imagem de Marconi no Governo (Foto: reprodução/internet)

Na terça-feira (6) o deputado Francisco Oliveira (PSDB), liderança do Governo do Estado na Assembleia Legislativa, reuniu assinaturas de parlamentares em ofício que pede a Marconi a indicação do secretário extraordinário de Articulação Política, Sérgio Cardoso, também membro da legenda –  e cunhado de Marconi –, para a vaga de conselheiro do Tribunal de Constas dos Municípios (TCM-GO). Membros da oposição criticam a iniciativa em razão de Sérgio ser cunhado de Marconi e acusam o governador de ser a verdadeira origem da indicação.

Caso o nome se concretize, Sérgio assumiria a vaga de Sebastião Monteiro, mais conhecido como Tião Caroço, após sua aposentadoria. O cargo é vitalício e o vencimento atual é de 30.471,11. A indicação de Sérgio foi criticada por membros da oposição. Um deles é José Nelto (MDB), que acredita que a indicação partiu do próprio Marconi e não do líder do governo Francisco Oliveira, que não foi encontrado pelo Mais Goiás para comentar a iniciativa.

“Essa é uma estratégia de Marconi para não desgastar sua imagem diante da opinião pública. Vai usar o próximo governador, José Eliton, para enviar a proposta para a casa. É um acordo entre compadres, vai dar um cargo vitalício com salário de R$ 30 mil para o cunhadão”, ataca Nelto.

Embora manifeste revolta com a ideia, Nelto revela ter assinado o documento. Assinei, mas não significa que darei voto favorável. Esta é apenas uma indicação de um intensão do Governador. O conluio está sendo preparado com o vice. Se o nome chegar, aí iremos debater. Marconi vai encerrar o mandato como governador da panelinha”.

Nelto afirma que a oposição, composta por 10 dos 41 deputados, tende a votar contra a proposta. “Ele deixará um legado triste. Age como um coronel. Usa a mesma política aplicada por Sarney no Maranhão aqui em Goiás. Protege cunhados e a família ao invés de proteger o povo. O desgaste é enorme”, comenta.

A assessoria de Marconi nega que o ofício tenha partido do Governo. No entanto, o deputado questiona. “O líder do governo foi quem pediu apreciação. Ele fala por quem lá?”, ironiza.

Critério pessoal

De acordo com o deputado Major Araújo (PRP), com a indicação, o governo não utiliza outro critério senão o “estritamente pessoal”. Para o parlamentar, Sérgio não preenche os requisitos d um conselheiro para ocupar a determinada função.

“Precisa ter profundo saber jurídico, esse é um critério que ele não possui. Ele é, sim, profundo conhecedor do governador, de seus métodos e, especialmente, da prática de corrupção passiva e ativa que faz à frente da pasta. Tem 20 anos que ele está no governo, já foi secretário de governo, secretário pessoal, agora de articulação. Mesmo nos tempos de Alcides ele foi mantido”, afirma.

Além da “falta de critérios”, Araújo observa que o governador tem receio de perder as eleições sem que tenha aliados políticos no TCM. “Por isso vcai colocando pessoas de confiança em postos estratégicos. Se não tem aliados lá, pode dar problema pra ele no futuro”.

Conselheiro

De acordo com informação da Assessoria de imprensa do TCM, o tribunal é um órgão estadual responsável por fiscalizar os 246 municípios do estado. A atribuição e competência de indicações para o TCM são do Governador do Estado e da Assembleia Legislativa, que devem indicar e aprovar nomes para o cargo em questão. Entre as atribuições de um conselheiro estão a análise e o julgamento de questões levadas diretamente a ele e representações do Ministério Público de Contas, o qual funciona dentro do TCM.