Operação Violare

Operação prende 150 investigados por violência sexual em Goiás

Suspeitos de violência sexual eram, em sua maioria, homens com mais de 60 anos, avós, pais e padrastos das vítimas


Thaynara Cunha
Do Mais Goiás | Em: 30/08/2019 às 09:42:36

(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

A Polícia Civil de Goiás (PC) cumpriu ao longo desta semana 148 mandados de prisão contra investigados por violência sexual, em Goiás. Os criminosos eram, em sua maioria, amigos da família, avós, pais e padrastos das vítimas. Suspeitos foram presos durante Operação Violare, ação que faz parte da campanha “Agosto Lilás“, conjunto de medidas de combate à violência contra a mulher. Foram cumpridos mandados de prisão contra autores com prisão já decretada pela Justiça por crimes de violência sexual contra mulheres, estupro de vulnerável e estupro de rua (quando o autor aborda aleatoriamente a vítima e a violenta).

Segundo a corporação, mais de 400 policiais civis participaram da operação que teve início na segunda-feira (26) e tem término previsto para esta sexta-feira (30). Até a noite desta quinta-feira (29), mais de 100 homens foram detidos.

O balanço completo da operação ocorre a partir das 10h30 desta sexta-feira e conta com a presença dos responsáveis: o delegado-geral Odair José; o superintendente de Polícia Judiciária, delegado Vinícius Ney; e o gerente de planejamento operacional, delegado Manoel Leandro.

Casos

Ainda conforme a PC, não foram apenas os homens que tiveram a prisão decretada pela Justiça de Goiás. Em Piracanjuba, município a 85 km de Goiânia, uma mulher de 59 anos foi presa após permitir que o neto, de 13 anos, fosse abusado sexualmente por terceiros. Caso ocorreu em 2013. A avó foi condenada a mais de nove anos de prisão.

A polícia também prendeu um senhor de 60 anos de idade, amigo há mais de 20 anos da família da vítima, uma menina de 13 anos. O idoso teria estuprado a garota por anos e acabando por engravidá-la. O autor sempre presenteava a criança com doces e dinheiro.

Violência contra a mulher

No dia 7 de agosto deste ano, a Lei Maria da Penha completou 13 anos. Com o objetivo de punir de maneira adequada os agressores e de coibir novos atos de violência doméstica contra a mulher, a Lei Maria da Penha tem encorajado as vítimas a buscar ajuda e mudar de vida. Só em Goiás, o número de ocorrências registradas por crimes de violência doméstica aumentou 84,6% em 2019. Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado de Goiás (SSP-GO), foram 2.2 mil registros a mais que o mesmo período de 2018 (2,6 mil). Este número, porém, não significa um aumento na prática do crime, e sim que as vítimas de relacionamentos abusivos estão procurando ajuda.

A quantidade de medidas protetivas solicitadas diretamente na Delegacia Estadual de Atendimento a Mulher (Deam) também aumentou. Só o primeiro semestre de 2019 já superou o total de solicitações realizadas durante o ano todo de 2018. Foram 1.533. Isso significa 124 a mais que o ano passado. O primeiro semestre de 2018 registrou apenas 659 solicitações.

*Thaynara Cunha é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Hugo Oliveira