Do Mais Goiás

Operação notifica primeiro posto de combustível por preços altos em Goiânia

Estabelecimento alegou que não estava funcionando naquele momento e cobriu os preços

Operação notifica primeiro posto de combustível por preços altos, em Goiânia (Foto: Jucimar de Sousa / Mais Goiás)

Uma operação realizada pela Polícia Civil e pelo Procon Goiás notificou, na manhã desta quarta-feira (9), o primeiro posto de combustíveis de Goiânia por preços considerados acima do permitido. O posto fica localizado no bairro Jardim Goiás, na capital, e alegou que não estava funcionando quando foi abordado. No entanto, segundo o gerente de fiscalização Antonísio Teixeira, o local estava funcionando há dias atrás. Outros locais ainda serão analisados pelos fiscais ao decorrer do dia.

Segundo Antonísio, o estabelecimento foi notificado e deverá apresentar  as notas fiscais de vendas realizadas desde o início de 2021. Além de testes de quantidade e qualidade, a fim de verificar se o consumidor está sendo lesado nas bombas. O posto ainda deverá apresentar se está ou não cumprindo o Decreto Federal 10.634, que trata da divulgação dos preços.

“Até dias atrás, verificamos ali o valor do preço da gasolina custando R$ 6,19. Ou seja, um preço já alterado, né? A placa ali de preço agora está coberta, colocaram uma outra placa na frente. Inclusive, hoje pela manhã eu passei aqui, verifiquei que a placa tava descoberta”, comentou o gerente.

Burlando a fiscalização

O gerente de fiscalização explicou que, por enquanto, ainda não é possível afirmar se esse e outros postos de combustível estariam alterando os valores após a fiscalização. Atitude evitaria a notificação durante a visita dos agentes, mas continuaria causando prejuízo aos consumidores.

Fiscalização irá verificar se há prática abusiva no repasse dos novos valores ao consumidor (Foto: Jucimar de Sousa / Mais Goiás)

“Não podemos afirmar, né? Não tem se quer uma pessoa pra atender. A única pessoa que tem aqui nesse posto é uma funcionária que pouco contribuiu. Inclusive, ligou pro gerente do bolso, também não conseguiu falar nem com o gerente, nem com o proprietário. O trabalho nosso de rotina, complementa aí o auxílio da gerência de pesquisa”, explicou Antonísio.

Agora notificado, o posto terá dez dias para apresentar toda a documentação. Caso essas empresas não apresentem os documentos dentro desse prazo ou fique comprovado alguma irregularidade,  eles serão autuados.

Notificação de distribuidoras

Segundo a operação, outros postos de combustível ainda serão fiscalizados hoje em Goiânia. Além deles, as distribuidoras de combustíveis localizadas em Senador Canedo também estão na mira dos órgãos.

Toda a documentação recolhida será cruzada com aquela fornecida pelos postos em ocasiões anteriores. A ação se justifica uma vez que, de acordo com o Sindiposto, os donos de postos estão repassando o aumento praticado pelas distribuidoras.

Vale destacar que o valor do combustível está diretamente ligado ao preço do barril do petróleo e, por isso, está sujeito às variações do mercado internacional.