Operação Chorume

Operação desarticula quadrilha suspeita de desviar R$ 1,5 mi da Prefeitura de Planaltina

Com apoio da Polícia Civil de Goiás, procuradores do MP coordenam, neste momento, a execução de mandados de busca e apreensão e prisão em três cidades: Planaltina (GO), Brasília (DF) e Barreiras (BA)


Rafael Oliveira
Do Mais Goiás | Em: 18/09/2019 às 11:41:47

Busca e apreensão em cumprimento nesta manhã de quarta-feira (18) (Foto: MP-GO)
Busca e apreensão em cumprimento nesta manhã de quarta-feira (18) (Foto: MP-GO)

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) iniciou a Operação Chorume na manhã desta quarta-feira (18) para desarticular uma associação criminosa que suspeita de ter atuado na Prefeitura de Planaltina de Goiás, região do Entorno de Brasília (DF), durante o mandato do ex-prefeito David Alves Teixeira Lima, em 2017. O grupo arranjava contratos entre empresas de coleta de lixo e a prefeitura, com dispensa de seleção pública, prática considerada irregular pela Lei federal de Licitações.

Com apoio da Polícia Civil de Goiás, procuradores do MP coordenam, neste momento, a execução de quatro mandados de busca e apreensão, três mandados de prisão temporária e um mandado de prisão preventiva em locais usados pelos membros do grupo. O Juízo da 2ª Vara Criminal de Planaltina expediu ainda mais três mandados de busca e apreensão, dois de prisão temporária e um de prisão preventiva para serem cumpridos em Brasília (DF). Na cidade de Barreiras, na Bahia, devem ser cumpridos um mandado de prisão preventiva e outros três de busca e apreensão – dois deles voltados a pessoas jurídicas.

Mandados foram cumpridos com apoio da Polícia Civil

Mandados foram cumpridos com apoio da Polícia Civil (Foto: MP-GO)

A investigação teve início a partir do Procedimento de Investigação Criminal (PIC) nº 7/2017, onde promotores constataram que a suposta associação criminosa envolvia agentes públicos e empresários empenhados no desvio de dinheiro público. Os procuradores do MP apontam também a prática de fraudes na celebração de dois contratos entre o município e as empresas Rode Bem Locação de Máquinas e Equipamentos Ltda. e G.J. Construções e Serviços Ltda., que, segundo o MP, acarretaram no rombo de R$ 1,4 milhão ao Tesouro Municipal.

A operação tem a coordenação da 4ª Promotoria de Justiça de Planaltina, por meio do promotor de Justiça Rafael Simonetti Bueno da Silva, e conta o auxílio de três promotores de Justiça, bem como dos Centros de Inteligência (CIs) do MP-GO e do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDF), Centro de Segurança e Inteligência do Ministério Público da Bahia (MPBA), dos Grupos de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) do MPDFT e do MPBA, das Polícias Civil de Goiás e do DF, bem como da Promotoria de Justiça da Comarca de Barreiras (BA). Participam da operação os promotores de Justiça do MP-GO Rafael Simonetti Bueno da Silva, Douglas Chegury, Fernanda Balbinot e Caroline Yanhez.

A reportagem fez contato com a empresa Rode Bem, em Barreiras (BA), alvo de mandados de busca e apreensão do MP, mas a funcionária que se identificou como Keyla afirmou que, até o momento, a sede da empresa não recebeu agentes da Polícia Civil e membros do MP. “Não estamos sabendo de nada. Aqui na empresa só fica eu, equipe de Recursos Humanos e o pessoal do Financeiro. Mas até agora não apareceu ninguém”, contou. As demais empresas citadas na reportagem não atenderam as ligações.