Prisão

Operação da Rotam termina com quatro presos e um suspeito morto

Quadrilha flagrada no final da manhã com três carros roubados em Goiânia seria ligada a uma facção criminosa paulista


Hugo Oliveira
Do Mais Goiás | Em: 21/09/2018 às 17:54:46

Veículos recuperados (Foto: divulgação/PM)
Veículos recuperados (Foto: divulgação/PM)

Quatro suspeitos de assaltos a estabelecimentos comerciais presos, um morto, e três veículos roubados recuperados. Este foi o saldo final de uma operação da Rotam desencadeada no final da manhã desta sexta-feira (21), na Região Sudoeste de Goiânia.

A localização do grupo, suspeito de pertencer à célula de uma perigosa facção criminosa paulista, foi possibilitada pelo serviço de inteligência da PM. Kaio César Macedo Teixeira, Wanderson Eustáqui Andrade Silva, Marcos Vinícius Moreira Gondim e Gláucia Teixeira de Morais, todos com passagens criminais, foram abordados no momento em que circulavam em dois veículos roubados no Anel Viário, em Goiânia.

Ao verificar a numeração do chassis dos veículos em que eles estavam, os militares descobriram que tanto o Jetta, quanto o Jipe Renegade, que ainda estavam com placas clonadas, eram roubados. Dentro do primeiro, os agentes encontraram também as chaves de um Prisma, ocasião em que os abordados confessaram que o veículo estava “esfriando” na porta de um prédio residencial no Parque Amazônia.

Após localizarem o terceiro carro, os policiais foram informados pelos quatro presos de que as armas usadas por eles estavam com um comparsa, morador da Rua EF-13, no Residencial Eli Forte. Quando chegaram ao imóvel, as equipes, segundo a PM, foram recebidas a tiros e revidaram. Um suspeito, armado com uma pistola 7.65 foi alvejado e morreu antes de receber atendimento médico. O homem ainda não foi identificado.

Comandante do Policiamento da Capital, o coronel Ricardo Mendes disse ter informações seguras de que tanto os suspeitos presos, quanto o que morreu, são aliados a uma facção criminosa que atua em todo o Brasil. “Nós estamos fazendo a nossa parte em Goiânia, desmantelando quadrilhas, apreendendo diariamente armas de fogo de uso restrito e com alto poder de impacto, e assim continuaremos, mas está na hora de nossos legisladores pensarem em punições mais rígidas para esses criminosos faccionados”, cobrou.