Operação Guardião

Operação da PM retira armas, drogas e criminosos da ruas da Capital e região metropolitana

Segundo a PM, as abordagens e bloqueios ocorreram em regiões com maior incidência de crimes




Em seu terceiro dia de execução a Operação Guardião, da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP), já contabiliza nesta quarta-feira (02/11) números expressivos de abordagens a pessoas e veículos. As ações ocorrem em Goiânia e toda região metropolitana. Dados da Polícia Militar constam 13 armas apreendidas, 33 veículos recuperados, além de nove casos envolvendo apreensão de drogas. Quatro simulacros (imitação de arma de fogo) usados durante assaltos também foram recolhidos.

Além disso, mais de 70 veículos em situação irregular foram tirados de circulação, 37 flagrantes foram registrados e sete Termos Circunstanciados de Ocorrências (TCO’s) lavrados. Ainda de acordo com dados da PM, 16 foragidos da justiça foram recapturados e 67 pessoas foram conduzidas para prestarem esclarecimentos. A polícia apreendeu também 14 menores suspeitos de cometerem delitos.

Segundo a PM, as abordagens e bloqueios são pensados estrategicamente segundo estudo das equipes de inteligência da SSPAP, que permitiu a identificação das chamadas “manchas criminais”, ou seja, regiões com maior incidência de crimes. Desde o início da Guardião apenas um confronto foi registrado, o que levou à morte de dois suspeitos por crimes de roubo a veículos e residências.

Financiamento de outros crimes

A operação, lançada na madrugada da última segunda-feira (31/10) na Academia da Polícia Militar, somente no primeiro dia já retirou de circulação cerca de 60 quilos de drogas. De acordo com o titular da SSPAP, o vice-governador José Eliton, a apreensão de drogas é um dos principais alvos da operação, pois é um forte financiador de outros crimes. “Precisamos cortar a fonte que movimenta outros delitos. Menos drogas significa uma redução significativa de crimes contra a vida e contra os patrimônios público e privado”, afirma José Eliton.

As ações, que inicialmente contemplam a Capital e região metropolitana, serão estendidas posteriormente para outras localidades em todo o Estado. É o caso, por exemplo, das cidades goianas que integram o Entorno do Distrito Federal. Por dia a PM estima cerca de mais de 2 mil abordagens a pessoas e veículos em atitude suspeita.

Integração

As ações da Operação Guardião são realizadas pelas polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros Militar (CBMGO), Superintendência de Proteção aos Direitos do Consumidor (Procon-GO), e Agência Prisional, dentre outros.

As ações da Polícia Civil resultam no cumprimento de mandados de busca e apreensão de armas de fogo e veículos adulterados. Em conjunto com o Procon-GO, estabelecimentos comerciais foram vistoriados e autuados pela venda de produtos impróprios para o consumo. A PC também está presente em bloqueios montados pelas forças de segurança.

A integração das forças policiais faz parte da política implementada pelo vice-governador e secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, José Eliton, que, além dos esforços comuns no combate à criminalidade, defende investimentos também nos serviços de inteligência com a finalidade de antecipar às ações delituosas.