Requalificação urbana

Obra de revitalização da Praça do Trabalhador começa no dia 03 de junho

Representantes da Prefeitura e feirantes voltam a discutir local provisório para feiras Hippie e da Madrugada até conclusão dos trabalhos, que devem durar cinco meses


Thais Lobo
Do Mais Goiás | Em: 25/05/2019 às 17:02:23

Imagem: Divulgação/Prefeitura de Goiânia
Imagem: Divulgação/Prefeitura de Goiânia

Prefeitura de Goiânia, representantes dos trabalhadores das feiras Hippie, da Madrugada e das associações que representam segmentos constituídos na Rua 44, juntamente com o Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM), voltaram a discutir, na quinta-feira (23/05), um local onde as feiras deverão funcionar até que sejam concluídas obras de requalificação da Praça do Trabalhador.

As obras começarão no próximo dia 03 de junho, com prazo de cinco meses para terminar. A prefeitura sugere o corredor do BrT, na avenida Goiás Norte, e a princípio, está acertada com a Associação da Feira da Madrugada uma área para ocupação temporária. Nova reunião, na próxima segunda-feira (27/03), discutirá o local para onde será transferida a Feira Hippie.

Segundo o secretário municipal de Infraestrutura e Obras Públicas, Dolzonan da Cunha Mattos, é preciso aproveitar o período de seca para tocar a obra. “Requalificar a praça é uma reivindicação antiga de todos e queremos atender às necessidades dos trabalhadores”, afirma. “Mas precisamos iniciar as obras o mais rápido possível, aproveitando o período de seca”, pondera. “Caso contrário, o cronograma pode ser seriamente comprometido ou o projeto pode até mesmo nem sair do papel, o que será uma grande perda para Goiânia”, alerta.

Revitalização

A Praça do Trabalhador possui 49 mil metros quadrados e a revitalização faz parte do pacote de obras que o prefeito Iris Rezende empreende desde o início deste ano. As atividades serão executadas pela Construtora Ventuno. Os investimentos são da ordem de R$ 6.897.038,09. A iniciativa trará modificações necessárias para a implantação da avenida Leste-Oeste. O projeto prevê um ambiente totalmente inclusivo. Os platôs serão eliminados, transformando a praça em um elemento único, com declividade mínima para não causar desconforto aos pedestres e cadeirantes.

O projeto prevê uso de piso prodotátil em todos os passeios a fim de facilitar a acessibilidade de pessoas com problemas visuais. As passarelas para pedestres ficarão nas laterais dos canteiros, interligadas por escadas e rampas acessíveis. A pavimentação contará com áreas verdes para aumentar a permeabilidade.

Após o final das obras, a Feira Hippie será mantida na praça, aos domingos, com as bancas projetadas em metalon e uniformizadas, na dimensão de 2,00 x 1,00, fixadas em conjunto de 30 bancas, sendo 15 de cada lado, e todas cobertas com lona bege e fundo branco. Durante a semana funcionará um estacionamento para 1.272 vagas, incluindo os ônibus de turistas que fazem compras na feira.

Infraestrutura

Com a revitalização, a praça vai contar com um posto da Guarda Municipal, três sanitários públicos, sendo um familiar, com 100 m² cada um, e o prédio da administração, equipado com uma enfermaria.

Para o secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, Dolzonan da Cunha Matos, a área da praça está deteriorada e a revitalização é uma reivindicação antiga, não só dos moradores da região, mas de toda a cidade, que agora será concretizada.

A Praça do Trabalhador integra o plano original de Goiânia e, onde se encontra a Estação Ferroviária, um dos cartões postais da capital, já foi revitalizada.  “A requalificação da área vai resgatar toda sua importância e proporcionar mais segurança à população”, afirma Dolzonan.