PROTESTOS

O que pode acontecer com Trump e invasores do Capitólio, nos EUA?

Manifestantes podem ser acusados de terrorismo; dificilmente atual presidente será envolvido nas investigações


Francisco Costa
Do Mais Goiás | Em: 07/01/2021 às 18:13:39

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, durante cerimônia no Salão Oval, na Casa Branca (Imagem: Saul Loeb/AFP)
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, durante cerimônia no Salão Oval, na Casa Branca (Imagem: Saul Loeb/AFP)

Na quarta-feira (6), manifestantes pró-Trump invadiram o Capitólio, nos Estados Unidos, para protestar e impedir a confirmação da vitória de Joe Biden pelo Congresso como novo presidente do país. O atual gestor, Donald Trump, havia discursado a apoiadores mais cedo, naquele dia, pressionando por uma revisão do resultado do pleito e, novamente, falando em fraudes. Após os atos saírem do controle, ele pediu aos apoiadores que recuassem. Contudo, o pedido não impediu o caos e as mortes. O que pode acontecer ao presidente aos que participaram do ato?

A presidente da Comissão de Direito Internacional da OAB-GO, Fernanda Siqueira, disse que o FBI (Federal Bureau of Investigation, algo como uma Polícia Federal dos EUA) vai abrir uma investigação interna para analisar se o ato foi realizado por uma célula interna de terrorismo. “Os EUA têm uma lei rigorosa de combate ao terrorismo. Eles podem, inclusive, até decretar prisão sumária. É muito provável que isso vá acontecer, se concluírem como um ato de terrorismo interno”, se refere aos manifestantes.

Em relação a Donald Trump, ela não crê que este será afetado. “A 25ª emenda dos Estados Unidos prevê que, caso presidente coloque em risco extremo a nação, o vice pode convocar um gabinete de ministros para afastá-lo do poder. Mas isso não deve ocorrer para não gerar um problema de estado e mostrar fragilidade.”

Ela também não vislumbra um impeachment, uma vez que Trump tem apenas mais 13 dias de governo. “Então, o que deve acontecer é a questão do FBI para investigar os envolvidos. Apurar se houve ato de terrorismo.”

Fernanda Siqueira, presidente da Comissão de Direito Internacional da OAB-GO (Foto: Arquivo Pessoal)

Caso

Um grupo de manifestantes pró-Trump invadiu o prédio do Congresso, na quarta-feira, onde ocorria a sessão que confirmaria a vitória de Joe Biden na eleição presidencial de novembro. A sessão chegou a ser suspensa, e o vice-presidente Mike Pence, que comandava o ato, foi levado para um local seguro.

Segundo testemunhas, tinham manifestantes armados dentro do prédio, e alguns deles tentam invadir o plenário da Câmara. Durante o protesto, inclusive, uma mulher foi baleada, não resistiu e morreu. Ela ficou em estado crítico após ser atingida na região do peito. Com isso, ao menos quatro pessoas morreram durante a invasão.