PERFIL

O dia em que Maguito chamou atenção de Clinton e Jimmy Carter

Emedebista foi eleito prefeito de Goiânia neste domingo (29), com 52% dos votos


Francisco Costa
Do Mais Goiás | Em: 29/11/2020 às 18:33:53

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Maguito Vilela, eleito neste domingo (29) novo prefeito de Goiânia com 52,52% dos votos, também foi vereador, deputado estadual e federal, prefeito, senador, vice-governador e governador. Gestor de Goiás entre 1994 e 1998, ele não disputou a reeleição. Contudo, ficou conhecido por alguns marcos, como o projeto Solidariedade Humana (conhecido como “pão e leite”), que o levou até uma reunião com o então presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton.

O programa Solidariedade Humana beneficiou cerca de 150 mil famílias com doação de alimentos e foi implementado por gestões seguintes no Estado (Renda Cidadã) e, inclusive, no País. Ele deu destaque e visibilidade internacional a Maguito.

Segundo Euler de Morais, ex-secretário da Solidariedade Humana – que participou do encontro, ocorrido em fevereiro de 1998 – não há registro fotográfico, visto que a segurança era rígida e só 12 pessoas tiveram autorização para encontrar Clinton. Mas a história começa bem antes desta data.

História

O programa Solidariedade Humana beneficiava as famílias por meio da entrega diária de alimentos, cestas básicas mensais, mas também construção de casa. Segundo Euler, em maio de 1995, em um dos lançamentos do programa, seu amigo Thomas Roddy, dono de uma das empresas Coca Cola em Atlanta, nos EUA, mas que morou por dois anos em Goiás, esteve presente.

“Era um homem muito simples, mas muito bem relacionado”, revela Euler. “Ele gostou muito da iniciativa e falou sobre ela ao ex-presidente Jimmy Carter, que morava em Plains, na Georgia.” Depois disso, informou o ex-secretário de Maguito, Thomas passou a participar e filmar os mais diversos lançamentos do programa Solidariedade Humana.

“E quando ele foi aos Estados Unidos e mostrou as filmagens para o Carter, o ex-presidente ficou muito interessado e pediu para convidar Maguito e eu para uma reunião anual que ele fazia com cerca de 200 pessoas. Nesse momento, Maguito já era muito bem avaliado por esse programa pelo Brasil. Inclusive, sete Estados nos copiaram”, lembrou. “Nós é quem introduzimos as condicionantes como a criança estar matriculada, com vacinação em dia para a família ser beneficiada. Isso foi adotado, anos depois, pelo Bolsa Família”, se orgulha.

Euler Morais e o ex-presidente Jimmy Cartes (Foto: Arquivo pessoal)

Georgia

Euler explica que, já em 1998, ele e Maguito confirmaram a ida a Georgia, no evento de Carter. Mas Thomas Roddy ainda tinha outra surpresa. Ele era participante frequente de um tradicional café da manhã em Washington, no qual participa o presidente dos Estados Unidos e mais 3 mil personalidade de todo o mundo. O evento tem mais de 50 anos de tradição.

“Então, Roddy disse ao Bill Clinton que iríamos receber uma homenagem do Jimmy Carter. Aí o presidente nos convidou e ajustamos a agenda”, relatou o desdobramento. “Depois soubemos que Maguito seria recebido na sala com o presidente junto com outras 11 personalidades do mundo que se destacaram em alguma área. O café da manhã começa às 7h, e o Maguito se encontraria com o presidente antes disso.”

De acordo com o ex-secretário de Solidariedade Humana, Maguito teve problemas com a agenda e não pode ir na homenagem de Carter. Euler, contudo, representou o então governador de Goiás. A cerimonialista, ele conta, rapidamente anunciou Jimmy Carter, que antes de se dirigir ao auditório de 200 pessoas, pediu ao goiano que se levantasse para receber as homenagens pelo programa social.

“Jimmy Carter e sua esposa Rosalynn Carter me receberam de pé, na entrada do museu, onde ocorreu o encontro”, disse satisfeito. “Quando Carter começou a falar sobre o programa eu me surpreendi. Acho que ele conhecia melhor do que eu e o Maguito”, brincou. Depois desse evento, que Euler mantém com carinho na lembrança, ele seguiu para Washington, onde se encontraria com Maguito um dia antes do café da manhã e encontro com Clinton.

Encontro com Bill Clinton

Uma noite antes do evento tão esperado, houve um jantar em Washington para diversas autoridades. Maguito, revela Euler, não queria ir, pois teria que acordar muito cedo no dia seguinte, mas acabou sendo convencido – o que o “salvou” no dia seguinte.

“Ele estava preocupado, pois não falava inglês, então pediu que eu sentasse do lado dele. Passou um tempo, ex-presidente do Equador – que não me recordo o nome – sentou perto dele também. Aí Maguito começou a arranhar o espanhol e embalou. Conversou, aproveitou a noite e fez amizade.”

No dia seguinte, Maguito, Euler e Thomas Rody chegaram ao hotel onde seria o encontro e o café da manhã. Na hora de ir para a sala, Thomar e Euler foram barrados: somente as 12 personalidades poderiam entrar. “Maguito quase deu ré”, lembrou o ex-secretário, rindo. “Ele dizia: ‘Como vou fazer, vou falar só nice too meet you mister presidente?’”

Apesar da tensão, o então governador de Goiás entrou. Clinton ainda não havia chegado, pois só o faria após os 12 estarem no local. E aqui, segundo Euler, aconteceu a recompensa do jantar da noite anterior: um dos 12 era o ex-presidente do Equador que ele não lembrava o nome, mas que Maguito tinha ficado “chegado”.

Segundo Euler, o equatoriano traduziu a conversa para o goiano. Clinton teria cumprimentado Maguito pelo programa, perguntado sobre Jimmy Carter e outras amenidades. Tratava-se de uma visita rápida, de cordialidade, mas que, conforme o ex-secretário, “foi uma projeção extremamente importante de um estado brasileiro que não é tão conhecido lá fora”.

“Quando Maguito deixou a sala, disse que ia contratar uma professora de inglês para aprender o idioma em três meses. Ele até fez isso, mas deixou as aulas depois da quinta, por causa da agenda”, se diverte. “Depois do encontro, ele foi para o salão tomar café e sentou do meu lado. Na mesa alguns embaixadores e congressistas dos EUA. Ele fez amizade um diplomata do Uruguai e se soltou”, relembra.

Bill Clinton (Foto: Diana Walker/Time Life Pictures/Getty Images)

Biografia de Maguito

Nascido como Luiz Alberto Maguito Vilela, em 1949, na cidade de Jataí, foi eleito deputado vereador na cidade natal em 1976, quando ainda era conhecido como o “Maguito” jogador de futebol do Jataiense. O apelido pegou. Em 1982, foi eleito deputado estadual e já era líder do então governador Iris Rezende na Assembleia Legislativa.

Quatro anos depois se tornou deputado federal, participando de forma ativa da elaboração da Constituição Federal em 1988, nossa lei maior. À época, foi vice-líder do MDB na Câmara e, em 1990, se tornou vice-governador de Goiás ao lado de Iris.

Maguito, quando ainda era vice de Iris Rezende (Foto: Reprodução)

Foi então, em 1994, que Maguito conseguiu se sagrar o governador do Estado. Não foi para a reeleição. Em 1998 garantiu uma cadeira no Senado. Em 2002 e 2006, contudo, tentou nova vaga no Palácio das Esmeraldas, sem sucesso. No ano seguinte, o ex-presidente Luiz Inácio da Silva (PT) o tornou vice-presidente e Governo do Banco do Brasil.

O ex-governador foi, ainda, prefeito de Aparecida de Goiânia, por dois mandatos, onde fez o sucessor, Gustavo Mendanha (MDB) – reeleito este ano no primeiro turno com mais de 95% dos votos válidos. Destaca-se, Maguito deixou a administração com mais de 70% de aprovação, segundo a pesquisa Paraná/Record de 2016.

Ex-jogador, mas atualmente advogado, o prefeito eleito é sócio do escritório jurídico Vilela e Associados. Ele também é produtor rural do segmento leiteiro. Pai de quatro filhos, um deles é o presidente estadual do MDB e ex-deputado federal Daniel Vilela. Ele é casado com a empresária Flávia Teles e avô de quatro netos.

Maguito e Daniel Vilela (Foto: Reprodução)

Encontro de ex-governadores: Irapuan Costa Júnior, Marconi Perillo, Iris Rezende e Maguito Vilela (Foto: Reprodução)

Maguito Vilela derrota Vanderlan e é eleito prefeito de Goiânia