Festividades

Nutricionista alerta para riscos de excessos nas festas de fim de ano

Profissional também dá dicas para que o celebrante evite a ressaca pós-ceia de natal e celebrações de ano novo


Hugo Oliveira
Do Mais Goiás | Em: 24/12/2018 às 16:17:24


Marcado por confraternizações, o fim de ano também é lembrado pela fartura e exagero no que diz respeito a alimentos gordurosos e bebidas alcoólicas, combinação que pode gerar transtornos no dia seguinte. Para evitar problemas com a ressaca, a nutricionista Gleicy Kelly Nunes fornece orientações para manter o equilíbrio do que é ingerido nas festividades.

A primeira delas é não misturar bebidas destiladas (cachaça, uísque, vodca) com fermentadas (cerveja, vinho). Hidratar-se antes, durante e depois das bebidas, segundo ela, também é fundamental para prevenir sintomas como indisposição, fadiga, sede, dor de cabeça, náuseas e sensibilidade a luz e som, bem como tonturas.

“A água é importante para que o organismo funcione melhor, auxiliando o metabolismo a eliminar as toxinas ingeridas durante o dia e evitar o mal-estar da ressaca”, explica Gleicy. De acordo com ela, a melhor forma de evitar problemas alimentares e ganho indesejado de peso é evitar exageros. “Dar preferência às preparações mais saudáveis, evitar frituras e doces e consumir petiscos em pequenas quantidades”.

Em meio a alimentos calóricos, como peru, lombo e farofas com bacon, a profissional lembra que saladas tem sua importância. “Colorir a mesa reunindo folhas e frutos da estação pode balancear os pratos que contenham alimentos mais pesados, bem como carnes e massas. Além disso, também é necessário moderar no consumo de gorduras, principalmente as de origem animal, que aumentam os níveis de colesterol no sangue, contribuindo para o aparecimento de doenças como a hipertensão”.

Nunes ressalta que dividir as refeições em quantidade moderada ao longo do dia e evitar o jejum prolongado são estratégias para não chegar faminto à ceia. “No evento, é recomendado estar atento ao aspecto da comida, uma vez que micro-organismos podem estar presentes nas mãos de seus preparadores e em utensílios mal lavados. Assim é possível evitar problemas como a intoxicação alimentar, provocada por organismos que aumentam sua reprodução em períodos quentes como o verão”, expõe.