Segurança pública

Número de homicídios cai pelo terceiro mês seguido em Goiânia

No acumulado do ano, o recuo no número de homicídios dolosos (quando há intenção de matar) chegou a 14%.





//

Goiânia atingiu, em julho de 2015, o terceiro mês consecutivo de redução no número de homicídios. Com 41 casos registrados, diante de 52 no mesmo mês de 2014, a queda atingiu 21%, de acordo com levantamento do Observatório de Segurança da Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária de Goiás (Seap) concluído nesta segunda-feira, dia 3. No acumulado do ano, o recuo no número de homicídios dolosos (quando há intenção de matar) chegou a 14%.

Quando o parâmetro é a taxa por 100 mil habitantes, metodologia utilizada internacionalmente para aferição da criminalidade, julho de 2015 ficou 23% abaixo do mesmo período do ano passado. Em relação aos números absolutos, nos sete primeiros meses de 2015 ocorreram 51 homicídios dolosos a menos que no mesmo período de 2014. De janeiro a julho, foram 314 registros. Já no mesmo intervalo de tempo de 2014, haviam sido 365. Dessa forma, a taxa de homicídios por 100 mil habitantes em Goiânia recuou 16% desde o início do ano.

A análise mais detalhada dos dados revela outras informações importantes. Ao longo de julho, por exemplo, houve oito dias sem qualquer registro de homicídios em Goiânia. O comparativo mês a mês demonstra que a queda ocorreu em cinco dos sete meses do ano, em relação aos meses respectivos de 2014. A região que obteve a maior redução proporcional foi a que corresponde à Área Integrada de Segurança Pública (Aisp) Norte, com 39% de queda. Das sete Aisps, seis tiveram redução e uma ficou praticamente estável.

Primeiro semestre
Os primeiros números do segundo semestre de 2015 reforçam a tendência já observada em Goiânia no primeiro semestre do ano. Além da queda de 12,8% no número de homicídios dolosos de janeiro a junho, a análise estatística revelou uma série de outros dados positivos no período.

Das dez ocorrências prioritárias acompanhadas pela Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária de Goiás (Seap) na capital, dez tiveram redução no primeiro semestre, em comparação com o mesmo período de 2014. As quedas mais expressivas foram em relação ao latrocínio e estupro

Também no primeiro semestre, houve um incremento significativo na produtividade das polícias Civil e Militar em Goiânia. Segundo o secretário da Segurança Pública e Administração Penitenciária, Joaquim Mesquita, esse desempenho é fruto do trabalho integrado das forças, lideradas pelo comandante-geral da PMGO, coronel Silvio Benedito Alves, e pelo delegado-geral da PCGO, João Carlos Gorski.

Investimentos
Investimentos importantes têm sido feitos pelo governo do Estado. Um exemplo ocorreu na última sexta-feira, dia 31 de julho, quando o governador Marconi Perillo entregou R$8 milhões em equipamentos para a Superintendência de Administração Penitenciária, entre armamentos letais e não letais e veículos.

O efetivo das corporações também tem recebido reforço. No último dia 28 de julho, a Polícia Militar formou mais 134 soldados, durante a solenidade que marcou os 157 anos da corporação. Nesta segunda-feira, dia 3 de agosto, foi iniciado o curso de formação de 250 peritos, 150 médicos legistas e 60 auxiliares de autópsia para a Polícia Técnico-Científica. A Seap está com seleção em andamento para agentes prisionais. O secretário Joaquim Mesquita lembra, ainda, que outros processos seletivos estão em tramitação, entre eles um para a Polícia Militar, uma para a Polícia Civil.