Thaynara Cunha
Do Mais Goiás

Número de autuações por embriaguez aumenta 33% após chegada de novo bafômetro em Goiás

Novo equipamento permite resultado em até 6 segundos; teste pode ser realizado com o motorista dentro do carro e sem necessidade de assoprar o etilômetro

Em Goiás, o número de autuações por embriaguez ao volante registradas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) aumentou 33% após a chegada dos novos bafômetros. Segundo a corporação, nos primeiros 50 dias de uso do novo aparelho (entre 1º de junho e 20 julho de 2019), foram realizadas 472 autuações por embriaguez ao volante. No mesmo período do ano passado, foram apenas 355.

Como resultado da agilidade do novo etilômetro, o número de testes realizados também aumentou. Foram 16 mil testes este ano, contra 9 mil do ano passado. Representando um aumento percentual maior que 77%.

De acordo com o chefe de Comunicação Social da PRF, inspetor Newton Morais, os novos etilômetros, usados pela corporação desde o mês de maio deste ano, permitem que os testes ocorram de maneira mais rápida e eficiente. O modelo antigo leva até um minuto para constatar a embriaguez, enquanto o mais moderno detecta em até 6 segundos. Os equipamentos conseguem constatar se o condutor ingeriu bebida alcoólica a 30 centímetros de distância.

Contudo, Morais destaca que a intenção da PRF não é detectar mais casos de condutores embriagados e, assim, resultar em um sanção. “Nós esperamos contribuir para que os motoristas se conscientizem sobres os riscos que são assumidos ao decidir assumir o volante embriagado. Alguém que não bebe e dirige não pode ser penalizado por alguém que bebe e dirige. Quem decide  dirigir embrigado coloca em risco a vida de várias outras pessoas que cumprem e são conscientes dos riscos”, declara.

Só no final de semana do festival Villa Mix 2019, os agentes da PRF realizaram a maior quantidade de autuações de embriaguez ao volante: foram quase 200 motoristas autuados. No mesmo período do evento realizado no ano passado, foram autuados pouco mais de 70 condutores.

“A polícia quer fazer o maior numero de testes possíveis e não encontrar nenhum motorista embriagado. A gente realmente espera que as pessoas tenham consciência de que elas podem beber, só não podem pegar o volante”, salienta.

(Foto: Divulgação / PRF)

(Foto: Divulgação / PRF)

Nova Tecnologia

Conforme o inspetor, a PRF adquiriu, no início deste ano, 1.100 etilômetros mais modernos, dos quais 400 já foram distribuídos para os agentes das superintendências estaduais. Goiás foi o primeiro estado a receber o novo bafômetro.

Os 700 restantes estão sendo distribuídos em lotes para os estados.”Esse novo equipamento já ajudou a gente demais nas abordagens e, também, no ato de fazer o teste. Como o bocal é obrigatoriamente usado no modelo antigo, com o valor médio de R$ 2 a unidade, já há uma economia”, elucida.

O inspetor explica que com este novo aparelho o motorista só terá de soprar o bocal do bafômetro caso o equipamento constate que há alcoolemia. Neste caso, um bocal é colocado no aparelho para identificar a quantidade de miligrama de álcool por litro de ar alveolar (mg/l) presente.

Se a pessoa tiver consumido bebida alcoólica, uma luz vermelha é acesa na ponta do equipamento. Caso haja apenas indícios, a luz brilha na cor amarela. E caso não acuse embriaguez, uma luz verde se acende. Caso o teste acuse entre 0,04 mg/l e 0,34 mg/l o motorista é multado e tem a CNH apreendida. Caso o valor ultrapasse 0,34 mg/l, o condutor pode ser preso.

*Thaynara da Cunha é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Hugo Oliveira