Novidade | Saúde

Novo Hospital das Clínicas da UFG deve ser inaugurado até início de abril

Hospital das Clínicas deve ser aberto com pelo menos 300 leitos disponíveis. Para aumentar a capacidade de atendimento, há a necessidade de mais recursos para contratação de pessoal e aquisição de equipamentos


Samuel straioto
Do Mais Goiás | Em: 10/02/2020 às 14:34:37

Obras do HC começaram há 18 anos, em 2002. Hospital contará com 20 andares, 600 leitos e 120 leitos de UTI (Foto: Divulgação/UFG)
Obras do HC começaram há 18 anos, em 2002. Hospital contará com 20 andares, 600 leitos e 120 leitos de UTI (Foto: Divulgação/UFG)

Até o início do mês de abril é esperada a abertura do novo Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás (UFG), prédio que funcionará ao lado da estrutura já existente, no Setor Leste Universitário, em Goiânia. De acordo com o reitor da UFG, Edward Madureira, a expectativa é de que a unidade comece a funcionar com pelo menos metade da capacidade.

O reitor explicou que a obra está praticamente concluída. O Hospital das Clínicas deve ser aberto com pelo menos 300 leitos disponíveis. Para aumentar a capacidade de atendimento, há a necessidade de mais recursos para contratação de pessoal e aquisição de equipamentos.

“Nós estamos trabalhando, a obra está praticamente concluída. A expectativa é para que no mês de março até início de abril, fazer a inauguração. Será inaugurado com 300 leitos em funcionamento. Não é a capacidade plena, pois isso depende da contratação de pessoal e compra de equipamentos, mas a gente já começa abril com o hospital funcionando mais da metade da  capacidade”, explicou.

Dificuldades Financeiras

A limitação financeira não é apenas em relação ao Hospital das Clínicas, mas em toda a Universidade Federal de Goiás. Edward Madureira explicou que os recursos disponíveis não são suficientes para todos os meses do ano. Ele afirmou que a UFG tem um orçamento inferior às despesas de manutenção.

“O nosso orçamento tem sido suficiente para 9 meses. A gente deve ficar com três meses em aberto, assim como foi no ano anterior. Estamos trabalhando junto com a nossa bancada para tentar suprir o déficit. Temos uma despesa anual de serviços básicos de água, luz, manutenção predial e frota, de R$ 7,5 milhões por mês. O orçamento que temos não chega a R$ 70 milhões, por isso faltam recursos”, destacou Madureira.