Do Mais Goiás

Novo complexo empresarial é lançado em Aparecida de Goiânia

Empreendimento será construído em área da Codego com mais de 2 milhões de metros quadrados por meio de parceria imobiliária

Aparecida de Goiânia ganhará um novo condomínio fechado destinado a empresas e indústrias: o Complexo Empresarial Metropolitano Norberto José Teixeira (CEM). O empreendimento será erguido em terreno da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Goiás (Codego), por meio de parceria imobiliária. Com área total superior a 2,2 milhões de metros quadrados, o equivalente a mais de 150 campos de futebol, o complexo foi lançado institucionalmente na manhã desta quinta-feira (15).

Por se tratar de uma parceria imobiliária, a área onde será construído o CEM continuará em nome da Codego. As empresas privadas ABL Prime, Concreta Construtora e Máximo Construtora e Incorporadora, após vencerem processo de licitação, formaram uma sociedade de propósito específico e serão responsáveis por todo o custo de comercialização, obras e gestão do empreendimento. Toda a parte de legalização, aprovações e registros serão feitos em nome da Codego.

A área que abrigará o CEM pertence à companhia desde 2015 e foi avaliada no edital de concorrência de parceria imobiliária em R$ 47,3 milhões. O consórcio de empresas responsável pela implantação do empreendimento investirá estimados R$ 178,2 milhões, montante que inclui as obras de infraestrutura internas do complexo, como: redes de distribuição de água tratada, de coleta de esgoto e de distribuição de energia elétrica; iluminação, drenagem pluvial, e também a pavimentação das ruas e avenidas do complexo.

“Trata-se de um empreendimento imobiliário como outro qualquer, mas com a participação de uma empresa de economia mista (Codego)”, informa Marcos Mineo, diretor técnico do consórcio. Pelo contrato, a Codego terá direito a uma permuta financeira de 30% do resultado do projeto.

“A parceria imobiliária possui inúmeras vantagens para a Codego, considerando que, na atual situação econômica, a companhia não possui recursos financeiros para a implantação do CEM”, informa o diretor técnico da Codego, Izelman Oliveira da Silva.

Estrutura

O empreendimento terá um total de 331 lotes, sendo 268 voltados para indústrias e empresas, divididos em 963,5 mil metros quadrados; 62 comerciais, em 66,3 mil metros quadrados; além de uma área de quase 70 mil metros quadrados que reunirá mall, hotel e truckcenter.

Para o empreendimento estão previstos portaria e segurança patrimonial 24 horas, monitoramento por câmeras, auditório corporativo, sala de reuniões, heliponto, centro administrativo, centro de manutenção e serviços gerais, centro de triagem de resíduos, posto de combustível 24 horas e um moderno sistema de gestão condominial.

Em seu programa ambiental o complexo prevê iluminação em LED, utilização de energia solar, coleta seletiva de resíduos, envio de recicláveis às cooperativas, reaproveitamento de águas de reuso, calçadas permeáveis, reparação de áreas degradas e plantio de mudas nativas. Serão 105,2 mil metros quadrados de área verde.

O CEM também planeja adotar programas de inserção social de reeducandos do sistema prisional de Goiás e suas famílias, com incentivo à educação e emprego, por meio de convênios com as empresas que lá serão instaladas.

Vendas

O início da comercialização dos lotes no local está programado para ocorrer em junho deste ano. A projeção é que as obras do CEM iniciem em agosto e gerem mais de 400 postos de trabalhos diretos e indiretos. A entrega do empreendimento está prevista para o final de 2020.

Os compradores dos lotes terão como benefício crédito outorgado do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), concedido pelo governo do Estado de Goiás.

 Cronograma

Em julho de 2017, fruto da instalação de Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), a Codego publicou edital para instalar licitação referente à implantação do CEM. O consórcio formado pelas empresas ABL Prime, Máximo Construtora e Concreta Construtora sagrou-se vencedor, sendo qualificado com nota máxima. O resultado foi informado pela Codego em setembro do ano passado. A assinatura do contrato de parceria imobiliária entre Codego e o consórcio CEM ocorreu em dezembro de 2017.

 Neste mês de março, além do evento de lançamento institucional do complexo, espera-se que ocorra a emissão da licença ambiental pela Secretaria de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos (Secima).

O consórcio planeja que o lançamento comercial do empreendimento seja em junho deste ano, o início das obras em agosto e a entrega do complexo no final de 2020.