Do Mais Goiás

Novo chefe da Petrobras, Aldemir Bendine coleciona polêmicas

Em uma das polêmicas, o executivo foi acusado de favorecer à socialite Val Marchiori por meio de um empréstimo concedido pelo banco.


//

O novo presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, que irá cargo que era ocupado por Graça Foster, que renunciou na última quarta-feira, já se envolveu em algumas polêmicas recentemente.

No ano passado, foi divulgado pela imprensa que Bendine tinha pagado uma multa de R$ 122 mil à Receita Federal para se livrar de questionamentos sobre a evolução de seu patrimônio pessoal e a compra de um apartamento pago com “dinheiro vivo”.

O executivo foi autuado por não comprovar a procedência de aproximadamente R$ 280 mil informados em sua declaração de Imposto de Renda. Na ocasião, ele disse que tinha o costume de guardar dinheiro em casa, segundo a Folha de S. Paulo.

Em outra polêmica, Bendine chegou a entregar o cargo no Banco do Brasil, no final do ano passado. O seu pedido de renúncia, porém, foi adiado em função da escolha do novo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, que o manteve no cargo.

O executivo foi acusado ainda de favorecer à socialite Val Marchiori por meio de um empréstimo concedido pelo banco. O BB teria emprestado R$ 2,7 milhões para Marchiori a partir de uma linha subsidiada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O empréstimo contrariava normas dos dois bancos, já que a socialite não teria capacidade financeira para a tomada do crédito. Além disso, ela não teria pagado um empréstimo anterior ao BB. O executivo negou as irregularidades.