MAS JÁ?

Novela ‘Êta Mundo Bom!’ substitui ‘Avenida Brasil’ em abril no Vale a Pena ver De Novo

'Êta Mundo Bom!' foi ao ar há apenas quatro anos. Novela que conta história de Candinho conquistou o público com um humor ingênuo


FolhaPress
FolhaPress
Do FolhaPress | Em: 16/03/2020 às 09:38:33

'Êta Mundo Bom!' foi ao ar há apenas quatro anos. Novela que conta história de Candinho conquistou o público com como o humor ingênuo (Foto: Reprodução)
'Êta Mundo Bom!' foi ao ar há apenas quatro anos. Novela que conta história de Candinho conquistou o público com como o humor ingênuo (Foto: Reprodução)

Depois de dois grandes sucessos, “Por Amor” (1997) e “Avenida Brasil” (2012), a Globo escolheu uma novela que tem como marca o humor inocente e um protagonista caipira para o Vale a Pena Ver de Novo. É “Êta Mundo Bom!” (2016), trama de Walcyr Carrasco, que será reprisada pela primeira vez, a partir de abril.

Exibida há apenas quatro anos na faixa das seis, a história do ingênuo e otimista Candinho, interpretado por Sérgio Guizé, conquistou o público e bateu recorde -a novela terminou com 31,7 pontos de audiência em São Paulo, melhor índice da Globo no horário desde 2007.

Walcyr Carrasco contou que teve a ideia para “Êta Mundo Bom!” ao rever o filme “Candinho” (1954), protagonizado por Mazzaropi (1912-1981). O longa, por sua vez, foi inspirado no conto “Cândido ou O Otimismo” (1759), do filósofo francês Voltaire.

“Tudo que acontece de ruim na vida da gente é pra meiorá [sic].” Essa era a frase síntese de Candinho na novela. Abandonado quando ainda era bebê dentro de um cesto, o caipira é criado por Eponina (Rosi Campos), na fazenda Dom Pedro 2º, no interior de São Paulo.

Na novela, ao crescer, ele se torna empregado da fazenda e tem de lidar com a indiferença de Cunegundes (Elizabeth Savalla), matriarca da família. Acaba sendo expulso porque ela não admite a paixão entre Candinho e a sua filha, Filomena (Débora Nascimento).

A jovem, diz a mãe, precisa casar com um homem rico para salvar as dívidas da família.

Posteriormente em “Êta Mundo Bom!“, Candinho resolve partir, com seu burro Policarpo, para a capital paulista em busca da sua verdadeira mãe. Não imagina que ela, Anastácia (Eliane Giardini), é uma viúva rica que procura pelo filho perdido.

Mas o encontro dos dois será atrapalhado pelos vilões da novela: os irmãos e sobrinhos de Anastácia, Sandra (Flávia Alessandra) e Celso (Rainer Cadete), e o malandro Ernesto (Eriberto Leão).

No meio de tantas aventuras em “Êta Mundo Bom!“, o caipira conhece Pirulito (JP Rufino), um menino de rua que se torna seu amigo inseparável. Além disso, na cidade de São Paulo dos anos 1940, período em que se passa a novela, ele reencontra e conta com a ajuda de Pancrácio (Marco Nanini), professor que vive disfarçado e pedindo esmolas nas ruas.

“Êta Mundo Bom!” é um melodrama, “com todas as regras do gênero”, como já disse Carrasco, autor também de “O Cravo e a Rosa” (2000), “Chocolate com Pimenta” (2003) e “Alma Gêmea” (2004).

As quatro novelas têm características comuns, como o humor ingênuo e, em alguns momentos, pastelão, o drama popular e personagens cativantes, que têm tudo para conquistar, mais uma vez, o público.

Avenida Brasil: tudo sobre a novela sucesso de audiência que parou o país