Do Mais Goiás

Nove hospitais particulares e conveniados de Goiânia estão com 100% de ocupação

Rede privada registrou aumento de 15% no número de internações em UTIs, nos últimos dez dias

Nove hospitais privados e privados conveniados de Goiânia estão sem vagas em leitos de UTI voltados para pacientes com Covid-19 (Foto: Jucimar de Sousa/MaisGoiás)
Leitos de UTI (Foto: Jucimar de Sousa/MaisGoiás)

Nove hospitais particulares e privados conveniados de Goiânia estão sem vagas em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) voltados para pacientes com Covid-19. O levantamento foi feito pela reportagem na manhã desta sexta-feira (4) e aponta que, das 158 vagas na rede particular na capital, 139 estão ocupadas. Segundo a Associação dos Hospitais Privados de Alta Complexidade do Estado de Goiás (Ahpaceg), houve crescimento de 15% no número de internações nos últimos dias.

Conforme consulta realizada às 9h30, as unidades privadas sem vagas de UTI para Covid-19 eram: Hospital Ruy Azeredo, Hospital de Urologia, Hospital Santa Helena, Clinica do Esporte e Hospital do Coração Anis Rassi. A Clínica do Esporte estava com fila de espera. Eram 20 pacientes suspeitos ou confirmados para a 10 leitos disponíveis.
Já os hospitais privados conveniados sem vagas eram: Hospital Urológico Puigvert, com lotação total tanto na UTI quanto na enfermaria; Gastrosalustiano, 101% ocupação de UTI e 68,6% enfermaria. Jacob Facuri, com lotação de 100% UTI e enfermaria e Hospital Ruy Azevedo, com 100% UTI e 86,6% enfermaria.
Das 374 unidades de sáude, 142 (37.97%) ainda nao atualizaram os dados.
Na rede pública estadual, a taxa de ocupação de UTI para Covid-19 está em 76,77%. Com relação às enfermarias, o índice é de 66,98% .

Contaminações

Ahpaceg têm registrado aumento no atendimento de casos de Covid-19 tanto nos prontos-socorros quanto nas internações e na busca por exames. Nas internações em Unidades de Terapia Intensiva, esse aumento chegou a 15% nos últimos dez dias.

Em nota, a entidade diz que os hospitais seguem monitorando suas taxas de ocupação. Assim, se necessário, a quantidade de leitos exclusivos para pacientes com Covid-19 poderá ser ampliada, mas dentro do limite da capacidade instalada de cada hospital, “pois não é possível criar novos leitos e, sim, adequar os existentes”, aponta.

“A Ahpaceg ressalta que essa adaptação de leitos para atendimentos Covid-19 implicará a redução, mesmo que temporariamente, da oferta de leitos para internações em outras áreas, como cardiologia, ortopedia, oncologia e neurologia, podendo comprometer a assistência a outros pacientes”, alerta.

A melhor solução, segundo a entidade, é prevenir novos casos de Covid-19 por meio do isolamento social e da vacinação da população, medidas que exigem uma atuação efetiva dos gestores públicos e de toda a sociedade.

O governo estadual também já ligou o alerta sobre o aumento de contaminações por Covid-19 e consequente aumento de internações em diversas regiões de Goiás. Neste sentido, não descarta possibilidade de novas medidas de combate à pandemia com fechamento de atividades consideradas não essenciais. Goiânia já adotou medidas como dimunuição do horário de funcionamento de bares e restaurantes e restrição de eventos para 75 pessoas.

Hospitais privados com 100% de ocupação de UTI

Hospital Ruy Azeredo

100% UTI e 86,6% enfermaria

Hospital de Urologia

100% UTI

Hospital Santa Helena

100% enfermaria e UTI

Clinica do Esporte

200% UTI e 50% de enfermaria

20 Pacientes suspeitos ou confirmados
10 Quantidade de Leitos
Hospital do Coração Anis Rassi
100% UTI e enfermaria

Privados conveniados

Hospital Urológico Puigvert

100% UTI e enfermaria

Gastrosalustiano

101% ocupação de UTI e 68,6% enfermaria

Jacob Facuri

100% UTI e Enfermaria

Hospital Ruy Azevedo

100% UTI e 86,6% enfermaria

(Fonte: SES/GO)