Do Mais Goiás

Novamente, sedação de Maguito começa a ser reduzida

Quadro do prefeito eleito de Goiânia segue estável

Infecção pulmonar do prefeito Maguito Vilela persiste
Infecção pulmonar do prefeito Maguito Vilela persiste

Segundo informações do boletim do hospital Albert Einstein, deste domingo (13), a sedação do prefeito eleito de Goiânia, Maguito Vilela (MDB), está em processo de redução gradual. Além disso, o texto informa que o quadro do emedebista é estável.

A nota é assinada pelos médicos Carmen Barbas, pneumologista; Marcelo Rabahi, pneumologista; e Miguel Cendoroglo, Diretor Médico e de Serviços Hospitalares do Hospital Israelita Albert Einstein.

Vale lembrar, na quinta-feira (10), Maguito apresentou um sangramento pulmonar e foi submetido a uma angiotomografia, um exame de imagem que permite a visualização das veias e artérias do corpo. O emedebista também passou por um serviço de hemodinâmica, responsável por avaliar o sistema cardiovascular.

No sábado (12), contudo, não houve novos episódios de sangramento nos pulmões. Na data, o boletim informou que o nível de oxigenação era “satisfatório” e que a hemodiálise era contínua, como neste domingo.

Confira na íntegra:

O senhor Luís Alberto Maguito Vilela encontra-se internado no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, desde o dia 27 de outubro para tratamento da Covid-19. Hoje, 13/12, encontra-se traqueostomizado e em ventilação mecânica mantendo nível de oxigenação satisfatório. Quadro hemodinâmico estável, segue com diálise contínua e redução gradual da sedação.

Luta de Maguito

Ressalta-se, Maguito foi intubado, pela primeira vez, no dia 30 de outubro por conta de um quadro de insuficiência respiratória. Porém, ele evoluiu bem, sendo extubado em 8 de novembro, para respiração espontânea.

Uma semana depois, em 15 de novembro, o ex-governador precisou ser reintubado por piora pulmonar (inflamatória e infecciosa), seguindo em ventilação mecânica invasiva. No dia 17 de novembro, foi iniciado tratamento dialítico seguido de instalação de ECMO para possibilitar ventilação protetora pulmonar.

No último dia 6 de dezembro, Maguito teve uma melhora e os médicos retiraram o aparelho que auxiliava na oxigenação do sangue, o ECMO – sinal de que o organismo do prefeito já conseguia desempenhar a função sem auxílio externo.

Piora

O prefeito eleito, porém, apresentou uma nova piora, no último dia 10. Ele chegou, inclusive, a ser submetido às pressas a uma cirurgia pouco invasiva para conter um sangramento pulmonar por intermédio de uma cauterização.
A piora do quadro de saúde de Vilela ocorreu logo após o seu filho, Daniel Vilela (MDB), informar que o pai estava apresentando melhoras e períodos com pouca sedação. Maguito já estava se comunicando por gestos, na quarta (9).