Francisco Costa
Do Mais Goiás

Nos 39 anos de morte de John Lennon, Yoko Ono protesta contra armas de fogo

"Mais de 1,4 milhões de pessoas foram mortas por armas nos Estados Unidos desde que John Lennon levou um tiro e morreu em 8 de dezembro de 1980"

Nos 39 anos de morte de John Lennon, Yoko Ono protesta contra armas de fogo
Nos 39 anos de morte de John Lennon, Yoko Ono protesta contra armas de fogo

Não por acaso, a palavra John Lennon é a mais escrita do Twitter nesta domingo (8). Há 39 anos, em 8 de dezembro de 1980, o fundador dos Beatles era assassinado por Mark David Chapman. Nesta data, internautas fazem uma série de homenagens e enviam palavras de carinho ao ídolo. Uma das que se manifestou foi a ex-esposa do cantor, Yoko Ono, que aproveitou para protestar contra as armas de fogo.

“A morte de um ente querido é uma experiência vazia. Depois de 39 anos, Sean, Julian e eu ainda sentimos sua falta. “Imagine todas as pessoas vivendo a vida em paz”, escreveu ela sobre uma imagem que diz: “Mais de 1,4 milhões de pessoas foram mortas por armas nos Estados Unidos desde que John Lennon levou um tiro e morreu em 8 de dezembro de 1980″. O trecho é retirado da letra da canção Imagine, composta por Lennon.

Em outra publicação ela escreveu: “Caros amigos. Todos os dias, 100 norte-americanos são mortos por armas de fogo. Estamos transformando este lindo país em uma zona de guerra. Juntos, vamos trazer de volta a América, terra verde de paz.”

Lennon foi assassinado quando estava chegando no prédio em que morava, em Nova Iorque, nos Estados Unidos. Mark Chapman, um segurança desempregado, o chamou e, quando o músico se virou, foi atingido com quatro tiros. O ex-Beatle morreu a caminho do hospital.