No Piauí, dentista é condenada a dois anos de prisão por racismo após ofensas no Facebook

A mulher é acusada de insultar com injúrias raciais o bebê de uma mulher com quem dividiu apartamento durante a faculdade, em São Paulo


Fabricio Moretti
Do Mais Goiás | Em: 22/04/2019 às 17:44:25

Delzuíte Ribeiro de Macêdo foi condenada a dois anos de prisão (Foto: Polícia Civil)
Delzuíte Ribeiro de Macêdo foi condenada a dois anos de prisão (Foto: Polícia Civil)

A Justiça do Estado do Piauí condenou na última terça-feira (16) a dentista Delzuíte Ribeiro de Macêdo a dois anos e quatro meses de prisão por injúria racial e racismo, além de três meses de detenção pelo crime de tentativa de lesão corporal leve. A decisão é do juiz Carlos Alberto Bezerra Chagas, da 1ª Vara da Comarca de São Raimundo Nonato.

Delzuíte é acusada de insultar com injúrias raciais o bebê de uma mulher com quem dividiu apartamento durante a faculdade, em São Paulo. Em abril de 2018, ela publicou no Facebook uma série de comentários racistas.

“Já vi que você saiu da senzala, porém a senzala ainda não saiu de você” e “Não me interesso por gente que nunca chegará ao meu tom de pele”, foram algumas das publicações da dentista.

O juiz afirmou na sentença que foi comprovada a prática dos crimes de tentativa de lesão corporal, injúria preconceituosa/racial e racismo qualificado por meio de provas materiais e indícios suficientes de autoria da ré.

O magistrado determinou a conversão da pena restritiva de liberdade em prestação de serviços à comunidade e na prestação pecuniária de vinte salários mínimos atuais. A ré deverá pagar 14 dias-multa, sendo cada dia-multa fixado em um salário mínimo (vigente no tempo do fato), e as custas processuais. A denúncia foi ajuizada pelo Ministério Público do Piauí.

Delzuíte poderá recorrer em liberdade.

*Com informações do Tribunal de Justiça do Piauí.