Futebol

Neymar vê árbitro conivente com racismo e confia em punição por imagem

O jogador afirma ter sido vítima de racismo em campo e manifestou seu descontentamento pelas redes sociais


FolhaPress
FolhaPress
Do FolhaPress | Em: 14/09/2020 às 08:48:33

Neymar discute com Alvaro Gonzalez durante PSG x Olympique de Marselha Imagem: Gonzalo Fuentes/Reuters
Neymar discute com Alvaro Gonzalez durante PSG x Olympique de Marselha Imagem: Gonzalo Fuentes/Reuters

Vítima de racismo em campo no domingo, Neymar teve madrugada de irritação nesta segunda-feira (14). O jogador denunciou ser chamado de “macaco” pelo zagueiro espanhol Álvaro Gonzáles, do Olympique de Marselha, e espera ver imagens do ato sendo exibidas para uma eventual punição do adversário. A revolta do brasileiro também está direcionada ao árbitro Jérôme Brisard, que nada fez após o camisa 10 relatar o xingamento no compromisso válido pelo Campeonato Francês.

“Racismo, não”, repetia Neymar ao árbitro esperando ver punição ao adversário. Após o jogo, com vitória do Olympique por 1 a 0 em Paris, o brasileiro se posicionou publicamente, atacando Jérôme Brisard e lembrando ser ele o árbitro de um outro problema com o jogador: o de um cartão amarelo sofrido por conta da tentativa de uma carretilha no marcador. O craque foi expulso no final do clássico de domingo (13).

 

“VAR pegar a minha ‘agressão’ é mole. Agora, eu quero ver pegar a imagem do racista me chamando de ‘MONO HIJO DE PUTA’ (macaco FDP)… Isso, eu quero ver! E aí? Carretilha, você me pune. Cascudo, sou expulso. E eles? E aí?”, postou Neymar no Twitter.

Segundo o UOL Esporte, Neymar vê o árbitro como conivente com o ato racista e pela denúncia em campo ter sido ignorada. Em seu entorno, a análise é de que o episódio não foi checado pelo VAR, o que desestabilizou o camisa 10 na partida.

De cabeça quente, Neymar acabou sendo expulso no minuto final de jogo por um tapa em Álvaro González. Sobre a agressão, ele também se posicionou nas redes sociais.

“Único arrependimento que tenho é por não ter dado na cara desse babaca”, disse o camisa 10 em outra postagem.

O problema como o árbitro Jérôme Brisard é antigo. A frase do brasileiro “Be patient é o c…” (“Seja paciente é o c…”) foi marcante quando os dois discutiram na vitória por 5 a 0 do PSG sobre o Montpellier, na temporada passada. Ali o camisa 10 já acreditava ser vítima de perseguição.

Após a derrota para o Olympique de Marselha, Leonardo, diretor de futebol do PSG, criticou a escolha de Jérôme Brisard como árbitro do clássico de domingo em Paris.

“Temos cinco vermelhos no clássico. Há problemas disciplinares. O árbitro perdeu o fio condutor da partida, a paz. Não quero criticar o Campeonato da França, mas acho que para uma partida dessas, quando você tem dois árbitros na elite do futebol francês, um dos dois tem que estar lá. E não o Jérôme Brisard”, disse o cartola do PSG.

“Todos ficamos desestabilizados. Não vou nem comentar o que aconteceu. São imagens, vamos ver o que aconteceu. Neymar me disse: a televisão serve para julgar”, complementou Leonardo.

O mesmo tom, sem se aprofundar no tema, foi usado pelo treinador Thomas Tuchel após o jogo.

“Eu acho que a gente tem uma opinião que o racismo na nossa sociedade não pode existir. Claro que no futebol também não. Honestamente, eu não escutei hoje. E acho que o árbitro também não”, disse o treinador alemão do PSG.