Mais um caso

Neta de idosa de 83 anos denuncia abuso sexual no mesmo hospital onde jovem foi estuprada, em Goiânia

A senhora teria reclamado de um enfermeiro que falou “palavras grosseiras” e tocou em seus genitais


Artur Dias
Do Mais Goiás | Em: 29/05/2019 às 19:13:16

(Foto: Reprodução Internet)
(Foto: Reprodução Internet)

Uma nova denúncia envolvendo abusos sexuais na UTI do Hospital Goiânia Leste (HGL) foi feita na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de Goiânia nesta quarta-feira (29). O caso foi levado à polícia pela neta da vítima, que tinha 83 anos e faleceu cinco dias depois de ficar internada no hospital.

De acordo com a delegada Paula Meotti, a senhora ficou sob os cuidados do HGL entre os dias 12 e 23 de dezembro de 2018. Depois de sair da UTI, a senhora teria reclamado muito de um enfermeiro. Ele teria “falado palavras grosseiras” e tocado nos genitais da vítima.

A delegada afirma que o caso será investigado, embora seja mais difícil colher informações por causa do falecimento da vítima. “O fato da vítima ter falecido dificulta bastante as investigações. Não será possível fazer o reconhecimento do suspeito nem conseguir informações complementares”, ressalta.

Mais um

Este é o segundo caso de denúncias de abuso sexual envolvendo a UTI do HGL. A Deam também investiga o caso da estudante de 21 anos que morreu enquanto estava internada no hospital. Antes da morte, a a vítima teria relatado a uma enfermeira que tinha sido abusada sexualmente por um técnico em enfermagem que trabalhava no local.

O advogado da família da vítima informou que será feita uma investigação paralela para apurar o caso. Por esse motivo, nenhuma declaração será feita por enquanto.

A empresa terceirizada que conduz os tratamentos na UTI do Hospital Goiânia Leste (HGL), Supreme Care, se manifestou sobre o novo apontamento por meio de seu advogado, Carlos Márcio Rissi Macedo. Veja a íntegra:

A empresa, consternada, tomou conhecimento pela imprensa da notícia de paciente, de 82 anos de idade, que teria sido molestada em suas dependências. A empresa ainda não obteve a informação do nome da paciente, mas assim que informada prestará às autoridades os esclarecimentos necessários. 

O compromisso da empresa é com a verdade e proteção dos pacientes; por isso, tem tomado, nos prazos e momentos adequados, todas as providências de sua alçada, sempre observando o sigilo médico e o respeito aos pacientes e seus familiares.