Do Mais Goiás

Não se compara igreja com bares, diz prefeito sobre restrições em Goiânia

Em bares e restaurantes, para comer e beber, as pessoas precisam tirar as máscaras, diz Rogério Cruz

MP-GO entra na justiça para impedir abertura de templos durante lockdown em Goiânia
(Foto: Reprodução/Catedral Metropolitana de Goiânia)

Para o prefeito Rogério Cruz (Republicanos), a comparação entre templos religiosos e outros ambientes, como bares e restaurantes, não é condizente em relação a transmissão da Covid-19. Ele afirma que, apesar dos bares e restaurantes respeitarem as regras sanitárias – como estabelecimentos -, clientes precisam tirar a máscara para comer. “Questão do ambiente. Para estar bebendo e comendo tira a máscara. E quando ingere muito álcool dá-se a falar mais alto.” Segundo ele, isso não ocorre nos templos religiosos.

“Só porque sou evangélico me perguntam… As igrejas estão respeitando o protocolo. Só o padre, o pastor, que fazem a palestra, tiram a máscara. As pessoas estão respeitando, estão de máscara. Hoje estive em uma reunião espírita e estavam todos com máscara”, declarou o prefeito de Goiânia.

Destaca-se que, em live realizada pelo Instagram do Mais Goiás nesta quarta-feira (3), Rogério também afirmou que deve igualar o horário de funcionamento entre distribuidoras e restaurantes, bares e similares. Atualmente, por conta de decreto municipal publicado na última semana, as distribuidoras só podem ficar abertas até às 20h.

A previsão é de que os locais se igualem a bares e restaurantes e fechem as portas às 23h. Neste momento, esta deve ser a única alteração colocada no novo decreto, que ainda pode ser editado nesta quarta. Apesar do aumento de ocupação nos leitos de UTI na capital – de 51% para 70% -, o gestor ainda não cogita novas restrições neste próximo texto.

Confira a entrevista na íntegra:

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Mais Goiás (@maisgoias)