"ORDEM"

“Não podemos transformar a Praça do Trabalhador só em feira”, afirma Iris

Declaração é direcionada a comerciantes da Feira Hippie, que realizam protestos frequentes para exigir permissão de trabalho também às sextas-feiras


Samuel straioto
Do Mais Goiás | Em: 03/08/2020 às 12:51:01

Feira Hippie antes da pandemia (Foto: reprodução/Internet)
Feira Hippie antes da pandemia (Foto: reprodução/Internet)

Comerciantes da Feira Hippie têm feito constantes protestos pedindo o funcionamento das atividades às sextas-feiras, solicitação negada pela Prefeitura de Goiânia, que liberou a retomada apenas nos finais de semana. Sobre o assunto, o prefeito Iris Rezende (MDB) tende a se manter irredutível sobre a limitação da feira aos sábados e domingos. “Não podemos transformar a Praça do Trabalhador só em feira”, afirmou.

O gestor reforça ainda que o posicionamento do Paço é de colocar ordem nas demandas. “A atitude de fechar na sexta-feira foi da prefeitura e não fechamos apenas fechar, não. Até porque não podemos transformar a Praça do Trabalhador só em feira, feira todo dia. Tudo tem que ter o seu dia, o seu horário, o seu local. A administração pública existe para colocar ordem em comportamento e na ação da sociedade. Se amanhã entendermos que não vai trazer nenhum prejuízo na sexta, vamos liberar”, argumentou.

Iris disse ainda que praças existem para cumprir outras funções sociais além de abrigar feiras da cidade e que não hé momento oportuno para abertura ainda mais abrangente do comércio, já que o período é de pandemia. “As praças existem em Goiânia não é só pra feira, não. A praça tem a sua função social. É claro, eu entendo o feirante e ele entende que a prefeitura não pode ir abrindo à  torto e à direita, num momento em que a população exige das autoridades cautela nas suas decisões”, declarou.

Regras

Para a retomada das atividades na Feira Hippie e nas demais feiras especiais da cidade, os comerciantes precisam cumprir protocolos sanitários, sob pena de aplicação de multa que tem valor inicial de R$ 4.705,30.

Entre os pontos do conjunto de regras estão: uso de máscara facial pelos feirantes e clientes; intensificação da limpeza de objetos e mercadorias; corredores de 3 metros para livre circulação e montagem de apenas 50% das barracas da feira, em sistema de revezamento, para manter distanciamento entre as pessoas.

De acordo com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia (Sedetec), atualmente, cerca de 5 mil comerciantes da Feira Hippie estão cadastrados. Ou seja, cerca de 2,5 mil feirantes podem abrir suas bancas a cada 15 dias.

Segundo a prefeitura, a Feira Hippie funcionava somente aos domingos até 2016, quando foi publicado um decreto estendendo o funcionamento aos sábados.

Em 2018, a montagem às sextas-feiras foi liberada até o fim  das obras da Praça do Trabalhador. Porém, o município destacou que vale atualmente é o decreto de 2016, que estabelece o funcionamento da feira somente aos sábados e domingos.