TRANSPORTE COLETIVO

“Não existe definição” de um novo modelo tarifário do transporte de Goiânia, diz CMTC

Apesar disso, reunião realizada nesta segunda confirmou o congelamento do valor atual de R$ 4,30 para este ano


Ton Paulo
Do Mais Goiás | Em: 11/01/2021 às 18:38:22

Murilo Ulhôa, presidente da CMTC | Foto: Jucimar de Sousa
Murilo Ulhôa, presidente da CMTC | Foto: Jucimar de Sousa

Após reunião realizada nesta segunda-feira (11) entre representantes da prefeitura de Goiânia e do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo e Passageiros de Goiânia e Região Metropolitana (SET), o presidente da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), Murilo Ulhôa, informou que ainda não há definição de um novo modelo tarifário a ser implantado na capital. Segundo ele, sugestões estão sendo apresentadas para, no final, se chegar ao formato ideal.

A reunião, que ocorreu de portas fechadas no paço municipal, durou algumas horas, mas terminou sem conclusões a serem apresentadas. Conforme Ulhôa, o encontro teve duas pautas principais: a já citada apresentação de sugestões para um novo modelo tarifário para o transporte coletivo, que, conforme o presidente da CMTC, será submetida a estudos e análise; e também a questão do plano emergencial de socorro ao transporte coletivo metropolitano.

Quanto à questão tarifária, corre a informação de que a prefeitura trabalha com a possibilidade de implantação de uma tarifa que pode variar conforme a linha do usuário. Atualmente, o valor de uma passagem é o mesmo tanto para quem circula somente dentro de Goiânia, quanto para quem vem à capital da região metropolitana.

“Hoje, o usuário que sai de Bela Vista e vem para Goiânia, faz a conexão e vai pra Trindade paga R$ 4,30. Se você sair do Paço Municipal, ao lado do Flamboyant, e for para a Praça Cívica, você paga R$ 4,30”, exemplifica Ulhôa. Haveria, portanto, um modelo tarifário próprio para Goiânia e Aparecida, e outro para os demais municípios da Região Metropolitana.

No entanto, de acordo com o presidente da CMTC, ainda não há nenhuma proposta formatada.

Congelamento da tarifa

O prefeito interino de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos), também teve uma fala após a reunião e informou que a tarifa do transporte coletivo da região metropolitana de Goiânia não sofrerá reajuste neste ano.

Conforme Cruz, a questão de congelamento já está decidida e “não existe conversa em relação a reajuste tarifário nos próximos 12 meses”. “Essa discussão está fora da pauta, está decidido”, adiantou.

O último reajuste tarifário aprovado em Goiânia se deu em abril de 2019, elevando o valor da passagem de R$ 4 para R$ 4,30. Em 2020, ano de pandemia, foi aprovado um aumento para R$ 4,50, mas o novo valor não chegou a ser implementado.