Folia consciente

“Não é não!”: campanha contra assédio sexual chega a Goiás para o Carnaval 2019

A ação existe em seis estados e busca financiamento coletivo para a produção das tatuagens escrito “Não é Não!”


Bárbara Zaiden

Do Mais Goiás | Em: 16/02/2019 às 15:11:51


O objetivo da campanha é conscientizar sobre o assédio sexual (Foto: Reprodução | Coletivo 'Não é Não')
O objetivo da campanha é conscientizar sobre o assédio sexual (Foto: Reprodução | Coletivo 'Não é Não')

Além da descontração e do clima de festa, o carnaval de 2019 em Goiás vai ser ambiente conscientização contra o assédio sexual. A mensagem deste ano é: “Não é Não!”. Lançada pelo coletivo feminista de mesmo nome, a intenção da campanha é conscientizar os foliões com mensagens de respeito.

Nos contextos nacional e estadual, o tema é importante porque no Mapa da Violência da Organização das Nações Unidas (ONU), de 2015, o Brasil é aparece como o 5º país com maior taxa de feminicídio no mundo. Goiás, por sua vez, foi o 5º estado brasileiro com o maior número de feminicídios em 2017, segundo o Atlas da Violência.

Na última semana, por exemplo, o Mais Goiás divulgou uma matéria sobre uma tentativa de feminicídio. Uma adolescente, de 17 anos, teria dito não a um rapaz durante uma festa e ele, inconformado com o “fora”, o jovem tentou atropelá-la e depois atirou contra a moça.

Para dar visibilidade ao tema, o objetivo da campanha é que os corpos das mulheres, as vítimas, sejam um outdoor das mensagens. Por isso, serão distribuídas 100 mil tatuagens temporárias escrito “Não é Não!” em blocos, desfiles e estabelecimentos durante o feriado.  Um projeto de financiamento coletivo foi lançado para viabilizar a produção das tatuagens.

“Formamos uma rede de apoio entre mulheres e reafirmamos o nosso direito de dizer ‘não’. Ocupamos diferentes espaços e defendemos que devemos estar seguras e livres em todos eles. ‘Não é não’: uma frase, simples, direta, óbvia, mas que ainda precisa ser repetida constantemente”, afirma o coletivo.

Para produzir as tatuagens, as organizadoras criaram um financiamento coletivo (Foto: Reprodução | Coletivo ‘Não é Não’)

Financiamento e apoio

A campanha existe desde 2017 e agora chega a Goiás e ao Distrito Federal.“Não é Não!” tem apoio de 100 blocos de carnaval pelo país: no Rio de Janeiro, em São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Pará e Paraná. A ideia surgiu de um grupo de amigas, quando uma delas sofreu um abuso durante um evento de pré-carnaval.

Em Goiânia, o apoio é dos seguintes bares e blocos: Shiva alt-bar, Bloco Socialista, Coró de Pau, Lanchonete Ideal, Bloco Me Engole Que Eu Sou Jiló, Samba de Buteco. Quem colaborar com a campanha ganha uma tatuagem e outra recompensa, produzida por empresas locais gerenciadas por mulheres ou por empresas que tenham responsabilidade social.

Para contribuir acesse: www.benfeitoria.com.br/canal/naoenao