Políticas Públicas

Na luta pela igualdade de gênero, Cevam se insere ativamente nas eleições deste ano

Entidade decidiu lançar candidatura para conseguir uma cadeira na Câmara Municipal de Goiânia




A busca pela igualdade entre os gêneros e o fim da violência contra mulheres e crianças, ainda que atrelada às lutas do dia a dia junto à população, não pode estar de fora da esfera política. Com essa consciência, o Centro de Valorização da Mulher (Cevam) almeja conseguir, neste ano, uma cadeira na Câmara Municipal de Goiânia para facilitar a implementação de políticas públicas para esses setores da sociedade.

Segundo a diretora financeira da entidade, Dolly Soares, a proposta é suscitar a discussão nos espaços de poder sobre a necessidade de políticas que protejam as mulheres vítimas de violência. “A decisão de participar ativamente desta eleição foi feita no ano passado, quando em uma reunião da diretoria nós avaliamos que deveríamos mudar nossa rota e fazer com que nossa instituição assumisse uma candidatura”, resalta.

A escolhida foi Cecília Machado do Vale (conhecida como Cecília do Cevam), que se lançou pelo PPS. Ela era presidente da entidade até pouco tempo atrás, mas teve que se afastar para poder concorrer ao cargo de vereadora, como dita a legislação eleitoral.

“A Cecília trabalha no Cevam há mais de 14 anos”, ressalta Dolly. “Ela tem todo um know-how para contribuir com a gente.”

Apesar de também ter propostas para áreas diversas, como saúde e educação, a candidatura apoiada pelo Cevam vai, sobretudo, lutar por questões relacionadas à igualdade de gênero e à proteção dos menores. “Temos que ter abrigamentos decentes. É preciso cuidar das mulheres e crianças vítimas de violência e implementar políticas públicas que realmente viabilize o bem-estar dessas pessoas”, diz.

Segundo ela, as políticas adotadas atualmente não servem para resolver os problemas de forma efetiva. “O governo fala que faz, mas não faz. Temos leis que determinam várias medidas que o governo tem que realizar, mas que não são feitas”, ressalta.

Para implementar as mudanças que julga essenciais, o Cevam pretende mudar a realidade de que apenas 12% do total de vereadores em Goiás é de mulheres, sem, por isso, se desconectar dos anseios de toda a sociedade. “Queremos levar para a Câmara o nosso sentimento, que também é o sentimento da população”, pontua Dolly.

 

Tópicos