Câmara Municipal de Goiânia

Na Câmara, Magalhães diz que perícia técnica vai apurar problemas do Mutirama

O presidente da Agetul disse que o parque tem carência de outros profissionais, não apenas de engenheiros para manutenção dos brinquedos


Karla Araujo
Do Mais Goiás | Em: 03/08/2017 às 17:14:05

(Foto: Câmara Municipal de Goiânia)
(Foto: Câmara Municipal de Goiânia)

O presidente da Agência Municipal de Turismo, Eventos e Lazer (Agetul), Alexandre Magalhães, na exposição e debate que teve hoje (3) na Câmara, foi enfático ao dizer que uma perícia técnica e científica vai apurar todos os problemas do Parque Mutirama e que, com base em suas conclusões, um novo protocolo de manutenção do local será feito. Magalhães esteve na Câmara a convite do vereador Elias Vaz (PSB).

Após sua exposição, alguns vereadores lamentaram a fala de Magalhães, dizendo não terem ficado satisfeitos com as respostas evasivas sobre certos questionamentos, como o pagamento de indenização às pessoas que ficaram feridas no acidente que aconteceu no dia 26 de julho. Jorge Kajuru (PRP) informou que a promotora Fernanda Fernandes entrou com uma ação judicial contra o prefeito Iris Rezende e Alexandre Magalhães, exigindo o pagamento de indenização a quatro feridos, dois adultos e duas crianças.

O primeiro vereador a questionar o presidente da Agetul foi Elias Vaz, que quis saber porque o prefeito exonerou em janeiro deste ano o responsável técnico do Mutirama, José Alfredo Rosendo Coelho, sob os protestos do Crea-GO. “O Crea esteve no Mutirama e notificou a Prefeitura pela falta ali de um responsável técnico (RT). Essa falha foi considerada um absurdo. No Paço, todos sabem, quem nomeia e contrata é o prefeito. Gostaria de saber se o senhor pediu a ele a contratação de um responsável técnico, já que o cargo está vago há mais de seis meses”, questionou o vereador.

Magalhães respondeu que o Mutirama tem carência não só de engenheiros, mas de outros profissionais, e que em janeiro conversou com o prefeito sobre a restauração total do Parque. “Iris autorizou a contratação de 280 profissionais, entre engenheiros químicos, eletricistas, engenheiros civis. Então, nossa meta é restaurar tudo, fazer o Mutirama dentro de uma estrutura confiável, que traga segurança aos frequentadores”. Sabrina Garcêz (PMB) falou que no parque vários brinquedos estavam sendo usados fora dos padrões de segurança e citou o teleférico, por exemplo, que, segundo ela, não tem certificação do Crea.

Em resposta, Magalhães afirmou que o parque só será reaberto com segurança total. Para tanto, a inspeção técnico-científica será feita. “Vamos contratar novos engenheiros para fazer essa manutenção, que era precária. Reafirmo vamos zelar pela segurança”, garantiu Magalhães.