Mutirão

Mutirão de reparação mamária beneficia 33 mulheres diagnosticadas com câncer, em Goiânia

Hospital faz, durante todo o mês de outubro, cirurgias de reparação mamária em 33 pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). Procedimento não terá custo algum para mulheres


Jessica Santos
Do Mais Goiás | Em: 04/10/2019 às 11:27:52

O Hospital Geral de Goiânia (HGG) faz, durante todo o mês de outubro, cirurgias de reparação mamária em 33 pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).(Foto: Divulgação)
O Hospital Geral de Goiânia (HGG) faz, durante todo o mês de outubro, cirurgias de reparação mamária em 33 pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).(Foto: Divulgação)

Mulheres diagnosticadas com câncer de mama e que precisaram passar pelo procedimento de mastectomia, retirada total ou parcial dos membros, terão a oportunidade de realizarem reparação mamária. Isso porque o Hospital Geral de Goiânia (HGG) realizará, durante todo o mês de outubro, cirurgias em 33 pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). Campanha visa conscientizar a população sobre a doença e a importância do diagnóstico precoce.

Cinco mulheres já foram submetidas ao procedimento nesta semana e outras 13 farão a cirurgia neste sábado (5). As 15 restantes serão operadas ao longo da próxima semana. Chefe do Serviço de Cirurgia Plástica do HGG e presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica Seção Goiás (SBCP-GO), Sérgio Augusto explica que as mulheres selecionadas chegaram até a unidade por meio do próprio SUS e passam por tratamento há bastante tempo.

“O serviço de mastologia faz o diagnóstico da doença e as mulheres iniciam o tratamento, que pode resultar na retirada da mama, parcial ou totalmente. Essas pacientes vêm de diversos municípios e passam a fazer o o acompanhamento. Em razão do Outubro Rosa e como forma de divulgar e conscientizar a população, o HGG fornece as cirurgias de modo gratuito”, ressaltou.

Segundo ele, existe uma grande demanda de câncer de mama não só no Estado, mas no país como um todo e poucas mulheres têm acesso ao serviço de reparação. “Queremos alertar a sociedade de que unidade realiza o tratamento e esse tipo de cirurgia de forma bem estruturada para pacientes da rede pública. Nosso objetivo é devolver a autoestima dessas mulheres”.

Além do mutirão das cirurgias reparadoras, o hospital também fornece serviços de mastologia. Serão montadas tendas em frente à unidade, na Av. Anhanguera, onde as pacientes poderão solicitar exames médicos, como a mamografia. Campanha também prevê realização de palestras sobre o tema durante todo o mês de outubro.

“O intuito da campanha é conscientizar a população acerca da importância da prevenção do câncer de mama e do diagnóstico precoce. A doença é curável desde que o tratamento seja feito na fase inicial”, pontuou.

“Esperança”

Para a dona de casa, Maria dos Santos, de 52 anos, a reparação mamária significa esperança. Esperança de uma vida melhor. Esperança para recomeçar e de tudo “voltar ao normal”. Diagnosticada com câncer de mama em outubro do ano passado, a paciente relata que precisou retirar a mama em março de 2019.

“Ficou só a pele. Foi péssimo, fiquei com baixo astral e autoestima no chão. Minha sorte é que não precisei fazer quimioterapia, mas é um processo muito doloroso descobrir a doença e ter que retirar a mama. Quando soube que faria a reconstrução fiquei muito alegre. Esperava fazer o procedimento há vários meses e isso me fazia muito mal. Mas agora vai dar certo”, disse.

Maria dos Santos é só ansiedade nesta sexta-feira (4) que antecede a cirurgia. Ela já está internada no HGG e aguarda o tão sonhado procedimento.“Estou muito ansiosa porque sei que as coisas vão melhorar. Estou louca para ver o resultado e ter de volta minha vida”.