Do Mais Goiás

Municípios turísticos de Goiás estão entre os 10 que mais tiveram cerrado desmatado no estado

Municípios que se destacam por belezas naturais estão na lista como São João D'Aliança, Formosa, Cristalina, Aruanã e Cavalcante

Municípios turísticos de Goiás estão entre os 10 que mais tiveram cerrado destruído no estado (Foto: Wikimedia)
Municípios turísticos de Goiás estão entre os 10 que mais tiveram cerrado destruído no estado (Foto: Wikimedia)

Cidades goianas que se destacam no turismo ambiental estão entre os 10 municípios que mais tiveram o bioma do cerrado desmatado em 2020. Os dados são do Mapa de Incrementos de Desmatamento do Cerrado do sistema PRODES, que monitora o desmatamento da Amazônia Legal e outros biomas por meio de satélites desde 1988.

Com total de área de 25 mil metros quadrados desmatados em 2020, o município de Cavalcante, localizado na Chapada dos Veadeiros está em segundo lugar no ranking de cidades goianas com maior desmatamento do bioma Cerrado no último ano (confira a lista no fim da matéria). Outros municípios que se destacam por suas belezas naturais também estão na lista como São João D’Aliança, Formosa, Cristalina e Aruanã.

O professor doutor em Ciências Ambientais da Universidade Federal de Goiás, Fausto Miziara, afirma que é compreensível que a maior incidência de desmatamento recaia sobre as áreas mais bem preservadas do bioma no estado.

“Goiás tem um histórico bem mais antigo de ocupação e desmatamento do cerrado que, de modo geral, se deu da região sul em direção ao norte do estado. As áreas mais bem preservadas, ao norte e nordeste, são as que tem maior desmatamento, pois nelas ainda resta bioma a ser desmatado.”, diz.

Desmatamento do cerrado

O professor ainda afirma que em algumas cidades, mais ao sul do estado, resta pouco a ser desmatado. “O desmatamento acontece com maior intensidade nas regiões que foram poupadas desse processo, onde o processo de ocupação do cerrado veio mais tardiamente”, pontuou. Fausto diz que as primeiras áreas a serem desmatadas, foram as regiões com relevo mais plano.

“A parte sul do estado tem um percentual de vegetação nativa muito menor do que a parte norte. A taxa acumulada de desmatamento do bioma em Goiás chega a 55%. É muito alta. Muitas regiões estão melhores preservadas em função da característica do terreno, como acontece em Cavalcante, por exemplo”, explica.

Em Goiá sim, como eu disse tem uma taxa acumulada de desmatamento muito alta tem umm histórico de desmatamento qual estimativa do desmatamento do bioma está em 55%. como goiás o que você tem de desmatamento em Goiás é isso essa regiao preservada em função da caracteristica do terreno.

Cidades na Chapada dos Veadeiros estão entre as 10 mais desmatadas de Goiás

A região da Chapada dos Veadeiros é a maior área contínua do bioma cerrado preservado no estado de Goiás. O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros foi criado em 1961 com uma área de 625 mil hectares, mas teve seu tamanho diminuído até atingir 65 mil hectares.

Em 2017, o parque foi ampliado por meio de um decreto para 240 mil hectares. Os municípios de Cavalcante e São João da Aliança, localizados na Chapada dos Veadeiros estão entre os dez municípios que mais tiveram o cerrado desmatado em 2020.

Para o presidente da Associação Amigos do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (Ave) e ambientalista, Júlio Itacaramby, os principais fatores de desmatamento do Cerrado em Goiás são a falta de fiscalização, o descontrole e flexibilização da legislação ambiental frente ao avanço da agropecuária.

“Aqui na Chapada dos Veadeiros, a fiscalização chega sempre depois que o desmatamento ocorre. As leis ambientais estão cada vez mais flexíveis para o criminoso se safar com uma falsa compensação ambiental, sempre insuficiente”. Para Júlio, o que prevalece é a sensação de impunidade e o pensamento equivocado de que uma infração ambiental pode ser compensada financeiramente.

Confira a lista dos 10 municípios que mais desmataram o cerrado em Goiás no último ano

NIQUELÂNDIA – 50.445 m² desmatados
CAVALCANTE –  25.083 m² desmatados
CAIAPÔNIA –  24.315 m² desmatados
CRIXÁS – 24.195 m² desmatados
CRISTALINA – 19.420 m² desmatados
PORANGATU – 18.313 m² desmatados
CAMPINAÇU – 16.112 m² desmatados
SÃO JOÃO D’ALIANÇA – 15.298 m² desmatados
FORMOSA – 13.875 m² desmatados
MINAÇU – 13.293 m² desmatados
LUZIÂNIA – 13.263 m² desmatados
MINEIROS – 13.237 m² desmatados
ARUANÃ – 12.498 m² desmatados
IPAMERI – 11.687 m² desmatados
DOVERLÂNDIA – 11.090 m² desmatados

Fonte: Prodes