Eduardo Pinheiro
Do Mais Goiás

Municípios que não registram vacinação podem ficar sem novas doses

Dados da Secretaria de Estado da Saúde revelam que há municípios com mais de 50% de doses ainda não aplicadas

MP-GO solicita interrupção imediata de vacinação das forças de segurança
Policial Civil é vacinado contra Covid-19. (Foto: Jucimar de Sousa/Mais Goiás)

Os municípios goianos que não aplicarem e não registrarem as doses de vacinas contra Covid-19 podem ficar sem novas remessas. O alerta foi feito pelo governador Ronaldo Caiado (DEM), durante live com prefeitos realizada na manhã desta quinta-feira (8). Ele exigiu que prefeitos e secretários de saúde deem baixa o mais rapidamente possível no sistema do Plano Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde.

Não podemos abrir margem a dúvidas nesse momento. Temos que tratar de aplicar a D1 [primeira dose] todos os dias. A imagem que querem transmitir na mídia é de omissão nossa, como se não aplicássemos as doses que estão no almoxerifado”, alertou Caiado.

O governador citou municípios com mais de 50% de doses ainda não aplicadas, ou pelo menos registradas como não aplicadas. Um dos casos é o de Aruanã, que consta no sistema do Ministério da Saúde como não ter aplicado 66%.

“Devemos aplicar a primeira dose enquanto temos estoque, sem parar em sábado, domingo e feriado. É difícil explicar que teve um dia de feriado para aplicação de doses, com morte de 4 mil pessoas diárias. Que seja aplicada em tempo integral”, apontou. O governador ainda alertou para iminente falta de insumos para a produção da vacina no Butantan, responsável pela CoronaVac.

Doses

Segundo dados apontados pela superintendente de Vigilância Sanitária, Flúvia Amorim, Goiás tem 61% das doses não registradas.

“Corre o risco do ministério mudar o critério de distribuição das vacinas levando em consideração o estoque do imunizante, por isso é importante a atualização desses dados”, aponta o secretário de Saúde, Ismael Alexandrino.