Crime hediondo

Mulher é encontrada morta, nua e com a cabeça esmagada, em Águas Lindas

Corpo foi detectado em uma região desabitada por uma equipe da PM durante patrulha; vítima ainda não foi identificada pela polícia


Thaynara Cunha
Do Mais Goiás | Em: 16/07/2019 às 12:13:19

Polícia divulgou fotos da tatuagem da vítima para que algum conhecido da vítima a identifique (Foto: Divulgação / GIH)
Polícia divulgou fotos da tatuagem da vítima para que algum conhecido da vítima a identifique (Foto: Divulgação / GIH)

Uma mulher foi encontrada morta, nua e com a cabeça esmagada, na manhã desta segunda-feira (15), em Águas Lindas de Goiás, município situado no Entorno do Distrito Federal. Conforme registra a Polícia Civil (PC), o corpo, ainda não identificado, foi encontrado por uma equipe de policiais militares em uma região desabitada, próxima ao bairro Park das Águas Bonitas II, durante patrulhamento. Ainda não há informações sobre autoria do crime.

Segundo informações do Grupo de Investigações de Homicídios (GIH), a polícia realizou perícia no local onde o corpo foi encontrado e já colheu impressões digitais para tentar identificar a vítima. Aparentemente, conforme o GIH, a mulher tinha entre 30 e 40 anos de idade.

Em entrevista ao Mais Goiás, o responsável pelas investigações, delegado Cléber Martins, explicou que a principal missão da polícia, nesse momento, é a de identificar o corpo da mulher. Ainda na tarde desta segunda-feira (15), foram analisadas várias ocorrências sobre desaparecimento de mulheres, registradas nos últimos dias. Contudo, as características não condiziam com as da vítima.

“No local onde o corpo foi localizado, não foram encontradas evidências sobre a autoria do crime. A mulher foi encontrada completamente nua, com o órgão sexual bastante inchado, o que pode ser um indício de violência sexual”, relata.

De acordo com Martins, até a manhã desta terça-feira (16), ninguém procurou a delegacia para registrar um desaparecimento, o que dificulta a identificação da vítima.

*Thaynara Cunha é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Hugo Oliveira