Incêndio

Mulher confessa ter colocado fogo no namorado após fim de relacionamento

Chanter Ley morreu depois de ser queimado na casa onde vivia com Rosemir de Araújo


Hugo Oliveira
Do Mais Goiás | Em: 03/12/2019 às 11:28:24

Ela, que também foi atingida pelo fogo, chegou a afirmar a vítima era a responsável por tentativa de homicídio contra ela (Foto: divulgação/PC)
Ela, que também foi atingida pelo fogo, chegou a afirmar a vítima era a responsável por tentativa de homicídio contra ela (Foto: divulgação/PC)

A desempregada Rosemir de Araújo Gueremito, de 51 anos, confessou ter provocado o incêndio que matou, em outubro passado, em Goiânia, o namorado dela, Chanter Ley Pereira de Almeida, de 53 anos. O crime teria sido praticado depois que a vítima anunciou que terminaria o relacionamento.

Morador do Residencial Santa Efigênia, Chanter Ley foi internado em estado grave depois que a casa dele pegou fogo na noite do último dia 24. Três dias depois, ele morreu. Na ocasião, a companheira dele também ficou ferida.

Ouvida no hospital, onde permaneceu internada por 10 dias, Rosemir alegou inicialmente que o incêndio teria sido provocado por um curto circuito, mas, informada que o companheiro havia morrido, mudou a versão, e alegou que Chanter teria colocado fogo no casal após ela anunciar que terminaria o relacionamento.

Vítima dormia quando foi atacada (foto: divulgação/PC)

Vítima dormia quando foi atacada (foto: divulgação/PC)

“Nós não acreditamos nessa versão, até porque familiares e amigos contaram que o casal brigava muito e descreveram Rosemir como uma pessoa extremamente agressiva. Após cair em várias contradições em uma nova oitiva, a Rosemir acabou confessando que ateou fogo nele por não aceitar o fim do relacionamento”, relatou o delegado Elton Fonseca, ajunto da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (DIH).

Com prisão temporária decretada, Rosemir foi detida na segunda-feira (2), na casa de uma irmã dela, em Aparecida de Goiânia. Ela responderá por homicídio qualificado, crime que tem pena de reclusão de 12 até 30 anos.