Ainda falta a viabilização

Mudança para o PSDB fortalece Eliton, segundo aliados

No entanto, a mudança ainda não garante candidatura em 2018





//

A iminente transferência do vice-governador José Eliton (PP) para o PSDB é comemorada por tucanos. No partido, é consenso que a chegada do também secretário de Governo vai promover força para a agremiação que tem dito que quer se fortalecer. Ele, porém, ainda ten­ta se viabilizar como candidato da base ao Palácio das Esmeral­das em 2018, algo que, pertencendo ao PP, seria muito difícil.

Entretanto, o vice-governador terá que mexer para conquistar o apoio da base aliada. Considerada fundamental para o sucesso dos últimos dois mandatos do governador Marconi Perillo (PSDB), a base governista pede que haja diálogos no que tange sucessão estadual em 2018. Para eles, não poderá haver imposição.

Ao que parece José Eliton ainda não superou os desgastes causados no último processo eleitoral na discussão para compor a vice de Marconi. A deputada federal Magda Moffato (PR), inclusive, chegou a ser lançada pelo deputado federal Jovair Arantes (PTB) cotada para a vaga. Entretanto, ele acabou ganhando o espaço.

Corroborou para o desgaste o fato de o vice-governador ter feito sondagens, este ano, em cima de prefeitos de outros partidos da base. Percorrendo o interior do Estado, lideranças de algumas das legendas entre os quais o PR, se queixaram que havia exageros por parte do vice-governador em tomar tais atitudes.

Por tudo isso e por discussão sobre espaço, o vice-governador e secretário estadual de Desenvolvimento terá que se esforçar muito para reunir apoio de PTB, PR e PSD que também deve tentar se consolidar daqui até lá, podendo ter uma candidatura com o seu presidente, Vilmar Rocha. Isso sem falar do próprio PP, partido que ele deixará.

CONQUISTA

Internamente no próprio PSDB a chegada do vice-governador é aplaudida por correligionários. No entanto, há divisão no que tange sua postulação concreta em 2018. Por ser homem de confiança de Marconi Perillo, Eliton tem nele um importante aliado, mas existe a perspectiva de que os tucanos tenham outros dois nomes que devem querer concorrer ao posto de candidato em 2018.

O nome dos deputados federais Alexandre Baldy (PSDB) e Giuseppe Vecci (PSDB), por exemplo, são os mais cotados para substituírem Marconi Perillo dentro da própria legenda. Os dois não falam publicamente sobre o assunto, mas colegas de partido apontam que ambos devem trabalhar para serem pré-candidatos.

E estes dois nomes, segundo aliados, agradam Marconi Perillo. Alexandre Baldy já foi secretário de Indústria e Comércio e goza de prestígio com o governador, enquanto Vecci é da velha guarda tucana e seu aliado de primeira mão, que por diversos anos ocupou pastas importantes no governo do Estado.

Já José Eliton tem a força de ser vice-governador e também por ser homem de confiança de Marconi Perillo. Tem feito, segundo aliados, um trabalho de resultado frente à secretária que é tida como uma das, senão a mais importante, na gestão do Estado.
Conta ainda a seu favor, o fato de que, caso Marconi se lançar a uma cadeira para o Senado ou dispute algum outro cargo, ele deve se afastar do governo.  A medida deixaria José Eliton como governador o traria força a ele.

BEM-VINDO

Dentro do partido não há outro sentimento. A força com que a legenda passa a contar é evidenciada por correligionários. Com o vice e o governador no plano mais alto do executivo goiano, o PSDB passa a ter por completo o domínio nas duas principais cadeiras do Palácio das Esmeraldas.

O deputado federal João Campos (PSDB) acredita que o fato coloca o PSDB como forte competidor na sucessão de 2018. Para o experimentado parlamentar goiano, a agremiação se torna ainda mais forte. “Em tese, nós continuaríamos fortes e com possibilidade de dar continuidade no governo do PSDB”, aponta.

O legislador federal enaltece o fato de que com José Eliton no PSDB e na vice-governadoria a possibilidade de ampliar o apoio a Perillo na Região Centro-Oeste para uma possível projeção nacional é evidente. “Com o governo do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, além de Goiás, sendo do PSDB, aumenta muito a força de Marconi”, diz.

O deputado federal Célio Silveira (PSDB) é outro tucano que comemora a chegada próxima do vice-governador. Se­gundo o parlamentar luzianiense ele traz força para a agremiação. “Fortalece muito o partido. É uma liderança consolidada no Estado. Qualquer partido ficaria muito satisfeito com uma pessoa da envergadura dele”, avalia.

Célio Silveira dá a José Eliton a credencial de candidato natural dentro da agremiação, mas observa que ainda está distante. Para ele, a força do vice-governador precisa ser ainda mais demonstrada nós próximos anos. “Naturalmente ele e o candidato e pode ser o nome de consenso no partido. Só o nome não adianta, tem que trabalhar”, afirma.

O fato de estar no PSDB foi considerado por Célio Silveira como fundamental para que Eliton logre êxito em seu objetivo. Segundo Célio, aliado a isso o apoio de Marconi Perillo. “Ele é um homem de confiança do governador. Tem realizado um trabalho muito bom, mas o fato de estar no PSDB é o mais importante”, acredita.

Leia a matéria completa no jornal Tribuna do Planalto