Erros x Ataques

MPF inicia procedimento para apurar falhas na acessibilidade do portal do Mais Médicos

Profissionais reforçam que estão há mais de 24h tentando se cadastrar no programa. Ministério da Saúde afirma que site está sendo alvo de ataques cibernéticos; porém, plataforma já contabiliza mais de 6 mil inscritos


Hugo Oliveira

Do Mais Goiás | Em: 22/11/2018 às 11:53:09


Médicos terão que permanecer durante todo o tempo no ambiente de trabalho (Foto: Reprodução)
Médicos terão que permanecer durante todo o tempo no ambiente de trabalho (Foto: Reprodução)

Falhas de acessibilidade no portal de inscrições para o programa Mais Médicos deverão ser apuradas. É o que determina o Ministério Público Federal (MPF), por meio de um Procedimento Preparatório (PP) expedido na quarta-feira (21), primeiro dia para realização do cadastro que pretende preencher 8.517 vagas atualmente ocupadas por cubanos no Brasil. O processo online, que segundo o edital, se estenderá até o próximo domingo (25), tem sido alvo de ataques cibernéticos desde a abertura da plataforma de inscrição, na quarta-feira (21), de acordo com o Ministério da Saúde (MS).

De fato, por volta das 9h desta quinta-feira (22), a reportagem tentou acessar o endereço divulgado pelo Ministério da Saúde (MS), www.maismedicos.gov.br/, mas o site não carregou. Ao invés disso, os dois navegadores utilizados na empreitada apresentaram apenas uma mensagem de erro: “não é possível acessar esse site” e “a conexão foi redefinida” (vide imagens). Uma nova tentativa, sem sucesso, foi feita às 11h.

De acordo com o procurador Ailton Benedito, a instabilidade pode prejudicar a obtenção de vagas desejadas pelos profissionais. “[As falhas] podem prejudicar acesso e inscrição dos profissionais brasileiros, dentro do prazo assinalado, situação que pode inviabilizar o recrutamento pretendido pelo certame, em prejuízo, afinal, às políticas de atenção à Saúde de milhões de brasileiros”, assinalou.

Agora, “ações e omissões ilícitas de órgãos da união quanto a inscrições para o programa” devem ser apuradas. Benedito, determinou – por meio do documento – que o MS deve apresentar, em 24 horas, informações atualizadas sobre as providências adotadas para solucionar os erros de acessibilidade.

Tentativas

Médico de Goiânia, Thiago Abreu, 34, reclama que está tentando realizar inscrições há mais de 24 horas. “Tentei ontem durante o dia todo, desde as 8h. Desde então, continuei com intervalos de 2h, às vezes de 20 minutos, mas não consigo acessar a página. Agora mesmo estou aqui tentando, mas só aparece mensagem de erro”.

Ele que tenta participar do programa pela terceira vez, afirma ter tido dificuldades nas duas primeiras tentativas. “Tinham uma intenção de interiorização, mas um dos critérios para seleção do profissional era proximidade de residência com o município desejado. Como sou da Capital, não consegui me cadastrar para cidades mais distantes, que era o meu objetivo na época”, explica.

Agora, Thiago revela que o referido critério foi substituído por “quem acessar primeiro leva”. “O problema é que ninguém consegue entrar. Curiosamente, mais de três mil conseguiram fazer inscrição. Isso é muito irregular e estranho. Agora não sei pra onde vai ter vaga, tenho outro emprego e preciso ficar em Goiás, vamos ver como vai ser”.

Thiago e Larissa reforçam que continuarão tentando (Foto: Leitor/Mais Goiás)

“Plantada” em frente ao computador também desde as 8h de quarta-feira, a médica Larissa Garcia Neves, 36, também enfrenta as mesmas dificuldades de Thiago. “Quando abriram para as inscrições só conseguir preencher meu nome e CPF. Aí a página ficava fora do ar. Passei a madrugada praticamente toda, mas não consegui. Ouvi dizer que alguns colegas conseguiram se cadastrar entrando por meio da plataforma do Programa de Valorização do Profissional da Atenção Básica (Provab), mas estou tentando, sem sucesso”.

A intenção dela, que trabalha na equipe de estratégia da família na Unidade Básica de Saúde (UBS) Sebastião Lozi em Brazabrantes, era conseguir preencher a vaga pro mesmo local pelo Mais Médicos. “Já perdi a vaga. Agora vou continuar aqui, mas pelo programa, seria muito melhor. Não tive chance de tentar ainda, mas vou continuar, inclusive ainda estou com a página aberta aqui. Isso é muito desgastante. Da minha turma de Medicina, ninguém conseguiu. Agora o pessoal  quer acionar o MPF”.

Acesso frustrado também por meio do link do Provab em tentativa feita pelo Mais Goiás (reprodução)

Ataques Cibernéticos

Sem funcionar por mais de 24 horas, o site do Mais Médicos tem sido alvo de ataques cibernéticos, de acordo com o Ministério da Saúde (MS). No momento em que a plataforma foi aberta para inscrições de profissionais interessados em substituir os 8.517 cubanos em serviço no Brasil, o sistema recebeu mais de 1 milhão de acessos simultâneos, que correspondem ao dobro do número de médicos existentes no País. Agora, o departamento de informática do Sistema único de Saúde (SUS) trabalha para resolver o problema.

Em nota, o referido ministério afirma que a maior parte dos “robôs e máquinas programadas que estão promovendo os ataques” já foi identificada. A expectativa é de que o serviço seja normalizado até o início da tarde desta quinta-feira (22). Porém, mesmo com os problemas, o MS já registrou 6.394 inscrições de médicos brasileiros ou que tiveram diploma revalidado no Brasil, das quais 2.812 foram efetivadas e 2.209 alocadas.

Segundo o órgão, interessados devem persistir nas tentativas e reforça que “eventuais responsabilidades pela inserção de dados falsos no sistema poderão ser apuradas na esfera penal”.