Do Mais Goiás

MP pede arquivamento de ocorrência contra youtuber em Cidade Ocidental

Promotor afirma que abordagem não foi embasada

MP pede arquivamento de TCO contra youtuber em Cidade Ocidental
MP pede arquivamento de TCO contra youtuber em Cidade Ocidental (Foto: Reprodução Twitter)

Depois de oferecer denúncia contra o policial que abordou o youtuber Filipe Ferreira de Oliveira, 28, em Cidade Ocidental, o Ministério Público de Goiás (MP-GO) pediu o arquivamento do termo circunstanciado de ocorrência (TCO) contra o rapaz por suposto delito desobediência. Segundo o promotor Paulo Henrique Magalhães, os policiais não conseguiram comprovar razões para o TCO.

Vale lembrar, no último dia 28 de maio, Filipe Ferreira foi abordado por policiais quando realizava acrobacias, em uma praça na Cidade Ocidental, Entorno do Distrito Federal. Enquanto registrava manobras de bicicleta para seu canal, ele foi surpreendido e algemado, tendo, até mesmo, uma arma apontada para ele. O youtuber chegou a questionar a ação.

De acordo acordo com o promotor, o delito de desobediência pressupõe oposição à ordem legal emanada por funcionário público e a abordagem não foi embasada objetivamente. Os policias alegaram, entre outras coisas, que o rapaz de 28 anos apresentava risco por “gesticular com as mãos”, além de ter descartado substância entorpecente nas proximidades. Contudo, pela filmagem, isso não se comprovou, segundo o MP, assim como nada ilícito foi encontrado ou apreendido na região.

Denúncia

Na terça (8), o MP ofereceu denúncia contra o cabo da Polícia Militar (PM) Gustavo Brandão da Silva por causa da abordagem contra o youtuber Filipe Ferreira Oliveira. De acordo com o órgão, houve constrangimento mediante agrave ameaça, com emprego de arma de fogo, a fazer o que a lei não manda. O outro policial não foi denunciado e teve a investigação arquivada.

Ainda segundo a denúncia, o PM contrariou o que preconiza o Procedimento Operacional Padrão da corporação e infringiu o Código Penal Militar. O órgão solicitou o afastamento cautelar de Gustavo, a suspensão do porte de armas e o recolhimento da arma de fogo funcional enquanto durar o afastamento.

Abordagem

No dia 28, durante a abordagem, os policiais chegaram apontar uma arma para o ciclista. “Por que você está apontando uma arma pra mim?”, pergunta o youtuber. “Coloca a mão na cabeça. Se não obedecer, você vai ser preso”, grita o PM. “O que que eu tô fazendo cara?”, continua Filipe. Durante todo o momento, um dos policiais mantém a arma apontada. “Esse é o procedimento”, afirma. “Beleza, cara, mas porque me tratar desse jeito?”, indaga Ferreira.

Segundos depois, Filipe tira a camisa para mostrar “que não tem nada”. Logo depois, o jovem é algemado. “Resiste aí para ver o que vai acontecer contigo”, diz um dos policiais. “Eu sou trabalhador”, continua Filipe. “E eu sou vagabundo, estou aqui brincando”, responde o militar.