Abuso sexual

MP-GO registra 40 denúncias contra João de Deus no primeiro dia de trabalho da força-tarefa

De acordo com o órgão, 35 denúncias foram apresentadas por um e-mail criado exclusivamente para esse fim. Oitivas com as vítimas serão agendadas


Artur Dias
Do Mais Goiás | Em: 10/12/2018 às 21:51:26

(Foto: Claudio Reis/Eleven/Folhapress)
(Foto: Claudio Reis/Eleven/Folhapress)

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) recebeu 40 denúncias de mulheres que se apresentaram como vítimas do de abusos sexuais do médium goiano João de Deus. Este foi o primeiro dia de atuação da equipe, composta por cinco promotores e duas psicólogas.

De acordo com o MP, 35 denúncias foram apresentadas por um e-mail criado exclusivamente para esse fim: denuncias@mpgo.mp.br. O órgão informou ainda entrará em contato com todas elas para que sejam agendadas as oitivas.

A força-tarefa, oficializada por meio de portaria assinada nesta segunda (10), é composta pelos promotores Luciano Miranda Meireles, Paulo Eduardo Penna Prado, Patrícia Otoni Pereira, Steve Gonçalves Vasconcelos e Gabriella de Queiroz Clementino e pelas psicólogas, Liliane Domingos Martins e Lícia Nery Fonseca.

Entenda o caso

O caso de João de Deus ganhou repercussão nacional depois que ao menos 13 mulheres acusaram o médium de tê-las abusado sexualmente durante tratamento espiritual.

As denúncias foram feitas no sábado (08), no programa Conversa com Bial e no jornal O Globo. No domingo (09), O MP-GO informou que já havia investigações abertas ao menos desde junho deste ano para apurar as suspeitas.

A assessoria de João de Deus afirma que as acusações são “falsas e fantasiosas”, questiona o motivo pelo qual as vítimas não procuraram as autoridades e afirma que “a sala em questão é pública, qualquer um tem acesso a ela e jamais fica trancada”. A assessoria ainda afirma que a situação “é lamentável, uma vez que o Médium João é uma pessoa de índole ilibada”.