Saúde

MP-GO faz inspeção no Hospital Materno Infantil, em Goiânia

A estrutura física da unidade, que conta com 400 profissionais, sofre com a ação do tempo e não comporta obras de ampliação


Joao Paulo Alexandre
Do Mais Goiás | Em: 22/03/2019 às 18:54:03

Inspeção destacou falta de climatização adequada e pacientes em atendimento na recepção aguarda vagas de internação (Foto: Divulgação/HMI)
Inspeção destacou falta de climatização adequada e pacientes em atendimento na recepção aguarda vagas de internação (Foto: Divulgação/HMI)

O Hospital Materno Infantil foi alvo de uma inspeção do Ministério Público de Goiás (MP-GO), nesta quinta-feira (21), para verificar a situação do funcionamento. Foi constatado que a unidade atende próximo ou além do limite que a estrutura física permite.

A estrutura física da unidade, que conta com 400 profissionais, sofre com a ação do tempo e não comporta obras de ampliação. “O ideal é a construção de uma nova unidade de atendimento pediátrico, com instalações adequadas e planejamento para comportar a demanda crescente por pelo menos 20 anos”, afirma o responsável pela perícia, promotor Vinícius Jacarandá Maciel, da 88ª Promotoria de Justiça.

A pior situação é na sala de atendimento do pronto-socorro pediátrico, onde havia 13 pacientes da capital e de outras cidades que aguardavam leitos de internação. Além disso, os pacientes recebiam os cuidados médicos, inclusive oxigênio, em cadeiras da recepção.

A Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pediátrica da unidade conta com dez leitos e todos estavam ocupados. De acordo com o órgão, no local estão internados até pacientes crônicos que dependem de cuidados especiais. Duas salas de emergências estão em reformas e a sala de reanimação também estava com os leitos ocupados.

Outras áreas do hospital também estão improvisadas para realizar atendimentos. As Unidades de Cuidados Intermediários (UCIN) são usadas para tratamento de pacientes graves. A UTI Materna está com todos os cinco leitos ocupados por gestantes de alto risco. De acordo com o promotor, as enfermarias não contam com sistema de climatização adequado e boa parte das instalações está deteriorada.

Procurada, a Secretária Estadual de Saúde (SES) mandou a reportagem a procurar o Hospital Materno Infantil. A unidade, por meio de nota, destacou que “tem acatado as recomendações do Ministério Público, no atendimento a pacientes de média e alta complexidade, aderindo assim ao seu perfil de atendimento.

Tópicos