Corrupção

MP-GO desarticula esquema de fraude em licitação na Superintendência de Trânsito de Aparecida

Organização criminosa envolve agentes públicos e seus familiares. Até equipamentos utilizados para sinalização de vias públicas estariam sendo desviados




Quatro mandados de prisão preventiva, oito de condução coercitiva e 11 de busca e apreensão estão sendo cumpridos na manhã desta quinta-feira (6) nos municípios de Aparecida de Goiânia e Goiânia. A ação faz parte de uma operação deflagrada pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) que tem o objetivo de desarticular uma organização criminosa que atuava na Superintendência Municipal de Trânsito de Aparecida de Goiânia (SMTA).

Durante as investigações, foi descoberto um esquema criminoso para fraudar licitações destinadas à locação de caminhões pela SMTA, que culminou na contratação de empresa registrada em nome de laranjas, mas que possuía como proprietário de fato o chefe da organização criminosa preso nesta manhã. A organização envolve agentes públicos ligados à SMTA e seus familiares.

Há indícios também de que insumos utilizados para sinalização de vias públicas pela SMTA foram desviados por empresas que atuam no ramo, as quais se utilizam desses materiais para a prestação de serviços particulares. Os envolvidos são suspeitos da prática de crimes de organização criminosa, fraude à licitação, falsidade ideológica, peculato e lavagem de dinheiro.

A operação é realizada por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Centro de Inteligência do MP, do Grupo Especial de Combate à Corrupção (Gecoc) e das Promotorias de Justiça de Aparecida de Goiânia. Conta com o auxílio de oito Promotores de Justiça, 29 servidores do Ministério Público, quatro delegados de Polícia Civil, sete agentes de Polícia Civil e 28 policiais militares.