Do Mais Goiás

MP-GO apura cobrança de taxa e dificuldade de consumidores na venda de créditos de vale-transporte

Situação estaria forçando o usuário do transporte a procurar bancas de revistas, que cobram taxa de 8%

O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO), por meio do promotor de Justiça Fernando Krebs, instaurou inquérito civil público para apurar suposta prática adotada pela Rede Metropolitana de Transportes Coletivos (RMTC) de dificultar e cobrar taxas pela compra de vale-transporte de usuários do serviço, o que ocasionaria a lucratividade ilegal da empresa.

Krebs relata que tem recebido reclamações de usuários que não conseguem vender os vales nos terminais de ônibus operados pela empresa. Segundo os reclamantes, eles são mal atendidos pelos funcionários, que, frequentemente, informam que não estão fazendo a compra de créditos, mesmo com a cobrança de uma taxa de 2%. Essa situação, então, estaria forçando o usuário a procurar bancas de revista que compram os créditos, mediante uma taxa de 8%.

De acordo o promotor, mais da metade dessa taxa voltaria para a RMTC e o restante ficaria como lucro para a banca, ficando o usuário lesado financeiramente pela não prestação de um serviço obrigatório da rede e, indiretamente, aumentando o lucro da empresa de modo ilegal.

Segundo o MP-GO, Krebs já requisitou à RMTC informações e esclarecimentos sobre os fatos, em especial o motivo pelo qual não está sendo realizada a compra de créditos dos usuários nos terminais de ônibus.
A reportagem do Mais Goiás tentou contato com a RMTC, mas até a publicação não houve resposta.